O PORTAL DE NOTÍCIAS DO
OESTE CATARINENSE
 Colunistas

Quirino Ribeiro

Com mais de 45 anos de atuação jornalística, Quirino Ribeiro já passou pelos principais veículos de comunicação do País. Atualmente, é gerente comercial do SBT/SC - região Oeste, comentarista na Rádio Chapecó, colunista no Jornal Sul Brasil e, de agora em diante, se fará presente também no Portal Oeste News. De segunda a sexta-feira acompanhe aqui o que é destaque no Brasil. 


E-mail: quirino@scc.com.br

Discurso do Presidente
27/03/2020
Quirino Ribeiro

“Para o bom entendedor, poucas palavras bastam”. (Autor desconhecido).


Antes dele indevidamente falar sobre a gripezinha e ou resfriadinho, o que é o jeito dele, muitas criticas vieram a tona. Ele cutucou e levou. Mas insisto, É assim que lida com bandidos. Não, Não estamos perdidos. Antes do intento polêmico ele fez e realizou várias reuniões. Programou ações, criou um plano de combate ao vírus. Coordenou com o Ministro da Saúde, construções rápidas de Hospitais em hotéis, em bases do exército e em outros lugares.


CONSEGUIU


Que fábricas de carro fabricassem os respiradores necessários que hoje estão em plena produção. Que uma indústria de cerveja, de perfumaria, fabricasse em alta escala o Álcool Gel e farmácias independentes, menores o fabricassem também. Conseguiu com vários laboratórios e com o Exército que fabricasse de graça para os hospitais o remédio que vence o vírus e cura a doença, garantindo produção para a demanda necessária.


APRENDEU COM OUTROS PAÍSES


Quem é o grupo de risco, observou quem morreu, em que condições, ele não foi pego de surpresa, se preveniu, se preparou, se organizou para combater um bom combate. Conta com a auto-responsabilidade de cada cidadão em se isolar. Ele sabe o que não sabemos, tem dados que não conhecemos. Negociou e anistiou dívidas estaduais e municipais, amparou estados com fundos necessários. Cuidou com o Ministro da Infraestrutura garantindo abastecimentos por rodovias e ferrovias dos suprimentos e alimentação para o período de isolamento.  Foram decretos, medidas provisórias, corrigindo itens que podiam não beneficiar o povo.


CRIOU UMA LINHA DE FINANCIAMENTO


Com baixo custo em apoio aos empresários e empreendedores. Criou com o MEC e com o Ministérios das Ciências e Tecnologias, pontes, atalhos, sites e links nos seus ministérios que gratuitamente criavam consciência sobre o que era o vírus, cuidados a tomar e onde e como procurar para o tratamento. Liberou cursos on line, gratuitos para ocupar, ensinar e educar profissionais e estudantes, desempregados e confinados, tornou possível mais possibilidade de geração de renda e conhecimento. Ele foi rápido, foi eficiente. Tudo em tempo Recorde.


ARTIGO NO NEW YORK TIMES


Mostra que Bolsonaro pode estar certo sobre o Corona vírus. Médicos ouvidos por jornalista defendem isolamento apenas de idosos, pessoas com doenças crônicas e com baixa imunidade e tratar o restante da sociedade como se lida com a gripe. Os políticos estão tendo que tomar decisões enormes de vida ou morte, enquanto atravessam com informação imperfeita e todo mundo no banco de trás gritando com eles. Eles estão fazendo o melhor que podem.


MAS COM O DESEMPREGO SE ALASTRANDO


Pelo mundo tão rápido quanto o vírus, alguns especialistas estão começando a questionar: Espera um minuto! O que estamos fazendo com nós mesmos? Com nossa economia? Com a próxima geração? Será que essa cura, mesmo que por um período curto, será pior que a doença? Lideranças políticas estão ouvindo o conselho de epidemiologistas sérios e especialistas em saúde pública. O mundo tem que ter cuidado com o pensamento de grupo e que até pequenas escolhas erradas podem ter grandes consequências.


PRESIDENTE JAIR BOLSONARO


E o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta entendem que a questão é como podemos ser mais cirúrgicos na resposta ao vírus de forma a manter a letalidade baixa e ao mesmo tempo permitir que as pessoas voltem ao trabalho o mais cedo possível e com segurança. As evidências disponíveis hoje indicam que a letalidade pode ser de 1% ou ainda menor. Se a taxa for verdadeira, paralisar o mundo todo com implicações financeiras e sociais potencialmente tremendas pode ser totalmente irracional.


PODE SER NECESSÁRIO PARA CONTER A TRANSMISSÃO COMUNITÁRIA


Mas pode prejudicar a saúde de outras formas, custando vidas. Imagine um paciente com dor no peito ou sofrendo um derrame, casos em que a rapidez de resposta é essencial para salvar vidas, hesitando em chamar o serviço de emergência por medo de pegar corona vírus. Ou um paciente de câncer tendo que adiar sua quimioterapia porque a clínica está fechada. Imagine o estresse e a doença mental que virá, já está vindo, de termos fechado a economia, gerando desemprego em massa.


A ABORDAGEM CIRÚRGICA E VERTICAL


Focaria em proteger e isolar os que correm maior risco de morrer ou sofrer danos de longo prazo, os idosos e  pessoas com doenças crônicas e com baixa imunidade, e tratar o resto da sociedade basicamente da mesma forma que sempre lidamos com ameaças mais familiares como a gripe.  Aqueles que tiverem uma infecção sintomática devem se autoisolar em seguida, com ou sem testes, que é exatamente o que fazemos com a gripe. Quem não estiver sintomático, e fizer parte da população de baixo risco deveria voltar ao trabalho ou a escola depois daquelas duas semanas. (Fonte: Thomas Friedman – Jornal New York Times).


MAIS UMA VEZ O BRASILEIRO


Vai ter que confiar, sair do modo pânico, ter equilíbrio e responsabilidade em saber quando sair, quando evitar aglomeração, cuidar de seus idosos e de sua família. Bolsonaro é da turma do resolve e não age com drama e paternalismo. Não vai esticar aquilo que agora está administrado e conhecido. O que não nos impede ainda de ficarmos em casa, estender o isolamento social, mas para aqueles que necessitam urgente de sua renda, proveniente do seu trabalho, ele apoia que volte, claro dentro de tudo que foi recomendando. Ele é assim e eu o apoio, consigo ver mudanças fundamentais em 1 ano e 3 meses, consigo ver um homem sagaz, corajoso e que luta contra um Mecanismo sujo, pesado, criminoso.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Momento de grandes desafios
26/03/2020
Quirino Ribeiro

“Viver é enfrentar desafios. Quem nunca enfrentou desafios, apenas passou pela vida, não viveu”. (Augusto Branco)


As economias de todo o mundo enfrentam o desafio da sobrevivência, enquanto a ciência corre em busca de vacinas contra o corona vírus. O corona vírus desafia a ciência – ainda em busca de uma vacina -, mas suas consequências não se esgotam na saúde, a despeito de ser o dado mais relevante de sua incidência.


BANCOS CENTRAIS


De todo o mundo estão sendo induzidos a conter os danos na economia, que podem ser bem mais acentuados do que as crises recentes, como a de 2008. Há claros esforços na contenção de danos econômicos, com injeção de recursos nunca vista antes em qualquer parte do mundo.


O BRASIL TAMBÉM ESTÁ NA MESMA TRILHA


Embora de forma bem mais modesta. O ato mais drástico foi a medida provisória anunciada ontem, estabelecendo, mesmo temporariamente, novas relações de trabalho. O presidente Jair Bolsonaro recuou e tirou o artigo 18, que tratava da suspensão de contratos, mas manteve as outras medidas, como antecipação de férias. É incerto saber as consequências quando há necessidade de novas ações não apenas na instância federal, mas também nos estados e nos municípios. As instâncias precisam trabalhar coordenadas, o que tem sido um problema até agora.


PARA ISSO, PORÉM


Todos têm que colaborar, não bastando o discurso. Da Presidência ao prefeito, passando pelos governadores, há a necessidade de um entendimento capaz de garantir atendimento a todos os segmentos e, no âmbito econômico, garantir o funcionamento do setor produtivo com a consequente manutenção dos empregos.


A DESPEITO DAS PECULIARIDADES


De cada país, em um cenário em que todos estão no mesmo barco – países ricos e pobres -, é necessário também avaliar as experiências de sucesso que estão sendo adotadas, respeitadas as devidas proporções. O mundo passa por um momento único, e ampliar o diálogo na busca de uma saída comum é a melhor maneira de vencer a doença.


O PRESIDENTE BOLSONARO


Em rede Nacional, disse o que para muitos é uma grande verdade! A mídia nacional comprou o pânico do coronavírus e vendeu para todos! Agora mais uma vez o governo vai ter que batalhar pra recuperar a economia brasileira. Em resposta mais ataques ao Presidente. Porém, se o Brasil parar completamente por 4 meses poderemos ver o resultado da situação.


DESESPERO E PÂNICO


É que o Presidente quer evitar. O vírus vai passar e o Bolsonaro vai continuar, apesar das criticas ao seu governo. Na verdade não dá para entrar nessa onda para destruir o nosso Presidente. Ele precisa ser defendido. Não por ele em si, mas pelo que ele representa, pela equipe que montou e pela luta contra os corruptos que estavam no poder. Temos que ter mais paciência, e acreditar que o Brasil já mudou e vai melhorar muito. Vamos dar tempo ao tempo, que foi desperdiçado nessas últimas décadas.


SECRETÁRIO DA AGRICULTURA


Pesca e Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Ricardo de Gouvêa destaca importância do programa de apoio aos pequenos empreendimentos rurais, anunciado, pelo governo catarinense, dia 24 de março e solicitou à população que atua nas atividades rurais e na pesca, que siga as recomendações do Ministério da Saúde relacionadas à higiene e isolamento social.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Não haverá falta de alimentos
25/03/2020
Quirino Ribeiro

“A alimentação saudável e a paz de espírito são os maiores e melhores remédios para todas as enfermidades existentes”. (João A Franco)


A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC fez um apelo para que o governo, a sociedade, os organismos estatais de fiscalização não criem nenhum obstáculo ao pleno funcionamento das atividades agrícolas e pecuárias, dos frigoríficos e da indústria de alimentação. "Se faltar comida, a situação que é dramática ficará caótica", advertiu o presidente José Zeferino Pedrozo. Ele disse ser incompreensível e insensata a crítica de alguns setores ao normal funcionamento da cadeia de produção de alimentos.


GOVERNO DECIDIU


Que restrição de trabalhadores não vale para agroindústrias e indústria de insumos para a saúde. Esse momento grave requer que todos ajam com senso de dever. Nos campos e nas indústrias será imperioso flexibilizar alguns normativos em face dos gigantescos óbices que surgem e surgirão. Não é hora de sindicato promover greve ou de órgão estatal radicalizar em exigências formais. É hora de união e de muita responsabilidade. A população brasileira pode ficar tranquila: não importa a duração dessa crise, não haverá falta de alimentos.


CELEIROS DO MUNDO


Há no mundo apenas três países (Estados Unidos, China e Brasil) com área total acima de 5 milhões de km2, PIB anual maior que US$ 1 trilhão e população superior a 150 milhões de habitantes. Estados Unidos e China estão localizados no hemisfério norte, com limitações climáticas para a agricultura durante vários meses no ano. A temperatura anual média na China é de 7°C e nos Estados Unidos, 8,5°C. O Brasil, ao contrário, com temperatura média de 25°C tem disponibilidade de água e sol, o que nos dá condição única para maximizar o uso da terra na produção de alimentos.


SOMOS FORTES EM TERMOS GLOBAIS


E nos tornaremos ainda mais relevantes. Somos número 1 em produção e exportação de suco de laranja, café e açúcar; na soja e no milho ocupamos a 2ª posição mundial em exportação e o 2º e o 3º lugares, respectivamente, entre os maiores produtores. Em breve, seremos o maior produtor mundial de soja, ultrapassando os Estados Unidos.


NO COMPLEXO CARNES NÃO É DIFERENTE


O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e carne de frango e o segundo maior produtor em ambas as atividades. Em carne suína, estamos conquistando mercados de forma acelerada. Já somos o 4º em produção e em exportação, com muito espaço ainda para crescer. Em ovos e leite, ainda não temos participação relevante no mercado mundial, mas somos o 7º maior produtor mundial de ovos e o 4º maior de leite.


NO MERCADO INTERNO


Temos o terceiro maior consumo anual per capita de carnes (87 kg/habitante), atrás somente dos Estados Unidos, que alcança 114 kg/habitante/ano, e da Argentina, com 107 kg. Nas exportações de alimentos,  os principais mercados importadores são União Europeia, Estados Unidos e China. De um total de US$ 1,1 trilhão negociados no mundo, o Brasil detém 9%.


A SANIDADE


É outra vantagem competitiva do Brasil, um país sem vaca louca e sem influenza aviária, mas que deve redobrar a atenção para que não sejamos impactados por ocorrências que podem ser prevenidas.


OUTRA CARACTERÍSTICA FANTÁSTICA


Do nosso país é a produção sustentável. Grande produtor de alimentos, energia e fibras, o Brasil é uma potência também em preservação ambiental, com mais de 66% de seu território, recobertos por vegetação nativa. E esse percentual sobe para quase 75% quando agregadas as áreas de pastagem nativa do Pantanal, Pampa, Caatinga e Cerrados, somando 631 milhões de hectares: área equivalente a 28 países da Europa somados.


TODA A PRODUÇÃO BRASILEIRA DE GRÃOS


(milho, arroz, soja, feijão etc.), fibras (algodão, celulose etc.) e agroenergia (cana-de-açúcar, florestas energéticas etc.) ocupa apenas 9% do país. As pastagens plantadas representam 13,2% do nosso território.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Eleições em 2020?
24/03/2020
Quirino Ribeiro

“Em nossas vidas, a mudança é inevitável. A perda é inevitável. A felicidade reside na nossa adaptabilidade em sobreviver a tudo de ruim” (Buda – filósofo e líder espiritual Indiano).


Começou um movimento para não ter eleições municipais esse ano, consolidando tudo em 2022. Não há clima para eleições agora! O segundo semestre será de luta para recuperar empregos e a economia. Além disso, os 2 bilhões do fundo eleitoral podem ser usados na saúde!


POLÍTICOS PEDEM ADIAMENTO DAS ELEIÇÕES


Defensores do adiamento argumentam que eventos preparatórios já serão prejudicados pela epidemia. No dia 4 de outubro, os brasileiros deverão ir às urnas para eleger 5.570 prefeitos e quase 57 mil vereadores nas cidades do país. Agora, a data começa a parecer incerta: com o avanço do número de casos do novo corona vírus no Brasil, políticos de diferentes partidos começam a defender o adiamento do calendário eleitoral.


NESTA QUINTA-FEIRA (19)


Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recusaram um primeiro pedido deste tipo, para adiar um dos prazos da corrida eleitoral deste ano. Tal mudança precisaria ser aprovada pelo Congresso Nacional, decidiram os ministros.


NO SENADO


A proposta para o adiamento das eleições foi apresentada para debate aos senadores progressistas. Senador Catarinense Espiridião Amin disse ser favorável, e avalia que o partido deveria propor a doação do fundo eleitoral, que é no valor de 2 bilhões de reais, mais o custo do dia da eleição, que é de mais 2 bilhões, e já que não vai ter demanda na Justiça Eleitoral, nós reduzirmos em 50% o valor dos recursos destinados à Justiça Eleitoral, que anualmente é em torno de 8 bilhões, diminuiria para 4 bilhões. Se somar tudo, teríamos recursos no montante de 8 bilhões de reais para doarmos para a saúde do nosso país. Seria muito mais importante do que termos a eleição este ano.


O MINISTRO DA SAÚDE, LUIZ HENRIQUE MANDETTA


Defendeu no domingo o adiamento das eleições municipais deste ano por causa da crise do corona vírus. Em outubro, a população irá às urnas para eleger prefeitos e vereadores. Está na hora de o Congresso olhar e falar assim ó: "Adia, faz um mandato tampão desses vereadores e prefeitos", afirmou Mandetta em videoconferência, em Brasília, promovida pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).


AS AUTORIDADES DE CAPITAIS E GRANDES MUNICÍPIOS


Trataram de medidas de enfrentamento ao avanço da Covid-19. Segundo Mandetta, as eleições devem ser adiadas para se evitar a politização do combate à doença no país. “Eleição no meio deste ano é uma tragédia. Vai todo o mundo querer fazer ação política. Eu sou político, eu sou político, não se esqueçam disso”.


A MINISTRA DA AGRICULTURA, TEREZA CRISTINA


Informou que a pasta está trabalhando junto com empresas da iniciativa privada para tentar contornar os impactos do avanço do corona vírus no setor. “Estamos desenhando cenários, vendo passos que temos que dar antes que os problemas aconteçam”. Cristina reiterou ainda que não há risco de desabastecimento de alimentos, mas que o setor precisa fazer com que o fluxo da produção agropecuária chegue aos supermercados. “Tenho falado com as centrais de abastecimentos, supermercados. O Brasil é fantástico, não temos risco de desabastecimento”.


ELA DESTACOU TAMBÉM


O trabalho de servidores do ministério e do agronegócio, que seguem no interior do país desempenhando papel fundamental. “Nas plantas frigoríficas e fábricas que produzem alimentos para o nosso país. Eu peço que caminhemos juntos para que possamos passar esse momento difícil e lá na frente dizer que valeu a pena”.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Momento de otimistas e não pessimistas
23/03/2020
Quirino Ribeiro

“Pessimismo leva à fraqueza, otimismo ao poder”. (William James)


Infelizmente vivemos em um país onde o sexo, o sensacionalismo, o sangue, as fake news são usadas para chamar a atenção, dar ibope, trazer resultados rápidos e muitas vezes mal intencionados, mas é verdade que muitas pessoas do bem usam critérios diferentes, buscando a ajuda mútua, a gentileza, o conceito de família tranquila, em paz consigo e com seus semelhantes.


TERAPEUTA WILLIAN SANCHES


Cito aqui declaração do terapeuta Willian Sanches, positiva para este momento em especial.  Disse ele: Quando eu era criança me lembro de uma música que dizia mais ou menos assim: Para o mundo que eu quero descer. Sabe o que é o mais interessante, o mundo parou, mas nós não temos para onde descer. É chegado o momento de você olhar para dentro de você e olhar para dentro de seu emocional.


SABE O QUE MAIS PERIGOSO


Do que uma endemia, de um vírus chamado corona? É uma pandemia de pessoas com ansiedade, depressão, angustias, pessoas que estão desistindo dos sonhos, pessoas só falando do caos, de crise, passando fake news pra frente, falando que vão ao supermercado e as gôndolas estão vazias, colocando ainda mais pilha em tudo aquilo que já esta acontecendo. Se você não tem coisas boas para falar, simplesmente silencie e reze e aumente sua vibração e quando nossa vibração se eleva, a nossa imunidade se fortalece. Quando nós reclamamos, nós clamamos duas vezes aquilo que nós não queremos mais.


NINGUÉM AQUI É CULPADO


Todos somos vítimas. Nós estamos falando de um problema silencioso e invisível, mas que parou o mundo e ninguém tem como descer. Então é chegado o momento de você cuidar de seu emocional, olhar para dentro de você e ver como você pode acender a luz das pessoas. Seja a luz hoje, fale uma palavra de otimismo, coloque uma música de entusiasmo, fale com alguém em sua casa, em seu prédio, coloque-se a disposição para conversar por telefone, watts, mas movimente em função na direção do bem.


CUIDADOS SÃO INDISPENSÁVEIS


O corona vírus, descoberto na China e que rapidamente se alastrou por diversos países, configurando, agora, pandemia com consequências devastadoras para a população e para a economia, mobilizou nosso estado. As cidades estão unidas no combate e na prevenção para conter o avanço da doença, minimizar danos e preservar vidas.


DESAFIO QUE NOS ALERTA


Sobre a necessidade urgente de parar. De desacelerar, de evitar o contato social, de ficar recluso, pelo bem da nossa gente. Medida difícil, mas que conta com a colaboração de catarinenses unidos, solidários e empáticos. Um esforço coletivo Para enfrentar uma das mais graves crises sanitárias da nossa história e que requer seriedade, responsabilidade e transparência, independentemente de ideologias ou interesses pessoais.


NO ENTANTO


Não é para você ficar espalhando negatividade, não é para você ficar espalhando o caos. Ajude as pessoas a se manterem no positivo. Ajude as pessoas a serem luz e não um interruptor que apaga a luz. Precisamos de pessoas otimistas neste momento, um exercito de pessoas do bem, positivas, pessoas que rezam, que vibram na positividade acreditando que tudo vai dar certo e que isto também passa. Que este corona vírus também vai passar.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Luta de todos
20/03/2020
Quirino Ribeiro

“A verdadeira nobreza está em saber enfrentar o sofrimento pelos outros e não deixar que os outros sofram por nós”. (Thomas Carlyle).


Os segmentos público e privado devem se envolver plenamente no combate à pandemia do corona vírus, a fim de reduzir o tempo de sua ação. Entendo que para conter a pandemia é fundamental a adoção de medidas drásticas, antes que a situação saia de controle, como na Itália, onde as autoridades sanitárias demoraram em demasia para tomar as primeiras providências. A inação levou o país ao segundo lugar de contaminação, atrás apenas da China, cuja curva está na descendente.


A TOMADA DE MEDIDAS É NECESSÁRIA


A fim de evitar o alargamento da contaminação e sua repercussão direta em vários setores, especialmente na economia, cujos índices já estão em queda. Ressalte-se, porém, não se tratar de uma questão localizada apenas no Brasil. Os números estão ruins em todo o mundo. A diferença estará no modo como o problema será enfrentado. O ministro Paulo Guedes apresentou propostas que estão aquém do esperado, mas o próprio presidente Jair Bolsonaro disse que há uma histeria em torno do problema, alertando que o setor informal será o mais prejudicado.


A HISTERIA OCORRE


Diante do medo de não se encontrar estrutura para o enfrentamento da doença. Há, é fato, os que se aproveitam de tais momentos para tirar vantagens, como aqueles que especulam, por exemplo, com o álcool em gel, fazendo estoques para vender mais caro, ou os que distribuem notícias falsas para algum tipo de proveito, mas não dá para minimizar os riscos.


O PRESIDENTE, NO ENTANTO


Tem razão quando alerta para o setor informal, que não deve ser alcançado pelas medidas do Governo, como adiamento do pagamento de tributos e outras concessões. Com os negócios em queda e sem os benefícios do Estado, esse segmento terá sérias dificuldades para fechar o mês. Então, que se busquem alternativas para também envolvê-los na lista dos beneficiados. A preocupação se estende também aos serviços, que serão um dos mais impactados com a crise.


NO ÂMBITO PRIVADO


Não dá para transigir com a situação. As empresas terão que adotar medidas internas para reduzir os riscos. Em tempos digitais, o modelo home office deve ser incrementado, a fim de diminuir o fluxo de pessoas em um mesmo local. O cancelamento, ou o adiamento de eventos, a despeito de eventuais prejuízos, é uma ação necessária, pois mais vale prevenir do que remediar.


ALÉM DISSO


A despeito da criatividade imputada ao brasileiro, não dá para brincar com a doença, o que é bem típico no mundo digital. Há piadinhas que revelam o desconhecimento da extensão do problema. O dano, porém, é a sua consequência. Podem até induzir ao riso e reduzir tensão, mas em nada contribuem para o enfrentamento, que deve ocorrer em todas as frentes.


A FECOAGRO


Assim como outras entidades associativas e de representação de setores organizados foi convidada pelo Governador do Estado, para tomar conhecimento do Decreto n°.515, publicado no último dia 17 a respeito das providências com relação à saúde pública. A medida decretada atinge a todos os setores da sociedade catarinense com o intuito de evitar a propagação do corona vírus, doença que está se expandindo aceleradamente e progressivamente em todo o país.


O DECRETO EXIGE


Que as atividades não essenciais sejam paralisadas, fechadas as portas e as pessoas fiquem em casa. Algumas atividades como alimentação, supermercados, farmácias, hospitais, postos de combustíveis e serviços públicos de água, energia, gás, etc., continuarão funcionando sobre controle dos órgãos de segurança. Policia Militar e Ministérios Públicos estão atentos para penalizar quem não respeitar o decreto.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Para refletir
19/03/2020
Quirino Ribeiro

“A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces”. (Aristóteles)


Algo invisível chegou e colocou tudo no lugar. De repente os combustíveis baixaram, a poluição baixou, as pessoas passaram a ter tempo, tanto tempo que nem sabem o que fazer com ele, os pais estão com os filhos em família, o trabalho deixou de ser prioritário, as viagens e o laser também. De repente silenciosamente voltamo-nos para dentro de nós próprios entendemos o valor da palavra solidariedade.


NUM INSTANTE


Damos conta que estamos todos no mesmo barco, ricos e pobres, que as prateleiras dos supermercados estão vazias e os hospitais cheios e que o dinheiro e os seguros de saúde que o dinheiro pagava não têm nenhuma importância porque os hospitais privados foram os primeiros a fechar.


NAS GARAGENS OU NOS ESTACIONAMENTOS


Estão parados igualmente os carros top de linha ou carro antigo (ferro velho) simplesmente porque ninguém pode sair. Bastou meia dúzia de dias para que o Universo estabelecesse a igualdade social que se dizia ser impossível de repor. O Medo invadiu todos. Que ao menos isto sirva para nos darmos conta da vulnerabilidade do ser humano. (Carlos Afonso)


O BRASIL E A NOBRE MISSÃO


Alimentar a crescente população mundial de forma sustentável é o maior desafio de países com vocação para produção, como o Brasil. Mas não basta ter oferta suficiente. É preciso produzir mais com menos, garantindo a segurança alimentar.


SEGUNDO A FAO


Órgão da ONU para a alimentação, o número de pessoas atingidas pela fome em nível mundial diminuiu em mais de 100 milhões na última década, mas há ainda cerca de 805 milhões famintas – ou seja, um de cada nove habitantes do planeta não tem alimentos suficientes. Não podem existir fronteiras para os alimentos e temos que atacar o desperdício de frente.


O DESAFIO É REAL E IMEDIATO


Há 10 mil anos, éramos 1 milhão de habitantes no planeta. Em 1800, ou seja, há pouco mais de 200 anos, chegamos a 1 bilhão de pessoas. Em 1970, 50 anos atrás, portanto, atingimos 3 bilhões de bocas. Agora, somos mais de 7 bilhões de pessoas, e em 2050, nossos filhos e netos estarão em um planeta com outras 9,8 bilhões de pessoas.


A POPULAÇÃO MUNDIAL


Cresce atualmente à taxa de 2,5 pessoas a cada segundo. Serão 2,2 bilhões de pessoas a mais daqui a três décadas. E com características específicas. A população idosa (mais de 60 anos) representará 22% do total (hoje é de 10%) e a população urbana chegará a 6,3 bilhões de pessoas – no ritmo atual, a cada semana 1,5 milhão de pessoas passam a viver nas cidades. A classe média deverá atingir 4,9 bilhões de pessoas até 2030: aumento de 172%. Projetando para 2050, o consumo per capita de leite e derivados crescerá 53% e o de carnes, mais de 75%.


A COMBINAÇÃO DE CRESCIMENTO


Populacional, urbanização e aumento do poder aquisitivo provocará crescimento exponencial na demanda por alimentos. Os números são impressionantes mesmo. Os últimos 8.000 anos equivalem aos próximos 35 anos em termos de volume necessário de alimentos. Assim, o mundo precisará produzir 70% mais alimentos para atender essa demanda. E cerca de 90% do aumento da produção de alimentos virão dos países em desenvolvimento, entre eles o Brasil.

Nosso país, aliás, é um agente fundamental nesse desafio. De acordo com estimativas da FAO, o Brasil precisará aumentar sua produção em 40% para suprir a demanda mundial em 2050. Condições para isso temos de sobra. O Brasil é essencialmente agrícola.


O AGRONEGÓCIO


Representa 25% do PIB brasileiro. Entre 1997 e 2017, a produção de carne suína no Brasil deve crescer 4% em 2020 já exportações aumentarão 15%. Santa Catarina, especificamente, é vista com bons olhos devido ao status sanitário na criação de suínos, e se configura hoje como o maior exportador da proteína do país. A carne bovina também cresceu de forma significativa: de 6 para 9,5 milhões de toneladas. A estimativa é de expansão de 22,2% no VBP. E a produção de carne de aves saiu de 4,4 para 14 milhões de toneladas. Triplicou em apenas 20 anos. Para 2020 a produção deve passar de 13,5 milhões de toneladas para 13,7 milhões de toneladas, uma alta de 0,8%. O crescimento mais efetivo da produção tende a ocorrer a partir da segunda metade do ano, com um cenário mais positivo previsto para os embarques de carne de frango.


EM GRÃOS


A produtividade do Brasil no final da década de 1970 era de cerca de 600 kg por hectare. Nos últimos dois anos, superamos a marca de 3,5 toneladas por hectare plantado. E sem subsídios. A safra brasileira de grãos de 2020 deve bater o recorde de 240.913.898 de toneladas. (IBGE). Com essa previsão, as safras 2019 e 2020 devem se tornar as maiores da série histórica iniciada em 1975, ficando à frente do atual recorde de 2017, de 238,4 milhões de toneladas.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Coisa para se levar a sério!
18/03/2020
Quirino Ribeiro

“Ao enfrentar as situações impossíveis, as pessoas que amam o seu país podem mudá-lo”. (Barack Obama)


O Corona vírus já botou as asas no Palácio do Planalto, já incomodou Donald Trump lá na Casa Branca. Brasileiros que moram na Itália dizem que lá também se começou assim, fazendo pouco caso, que agora custa muito caro, como se milhões de pessoas parassem tudo para ficar em prisão domiciliar. Óbvio que é coisa para se levar a sério. E em Brasília a vida depois do Corona começou na segunda feira. Caiu a ficha lá. E cá também, onde já se cancelaram aulas, feiras, jogos, eventos, festivais, todo mundo tomando as precauções que as autoridades do ramo mandam.


INFELIZMENTE A DOENÇA DO CORONAVÍRUS


Trouxe muito pânico e medo, por isso, além de estarmos atentos aos aspectos físicos e biológicos relacionados a esta doença, cabe também fazermos uma análise minuciosa de outros pontos relevantes voltados para a saúde mental e emocional das pessoas. O excesso de notícias e informações tem levado o ser humano a um descontrole e a uma insegurança sem igual.


COM O ADVENTO TECNOLÓGICO


A propagação das chamadas fake news (notícias falsas) trouxe um grande impacto viral e, através de chamadas sensacionalistas, tendem a prender o público e acabam, assim, por desestabilizar emocionalmente quem consome essas notícias. E a cada minuto surge uma nova noticia colaborando por aumentar o medo e o desespero das pessoas. Com isso, é natural a presença de transtornos de estresse pós-traumático, transtornos de ansiedade generalizada, pânico e outros sintomas decorrentes.


COMO ENXURRADA DE NOTÍCIAS


As pessoas se sentem inseguras e sem ter muita certeza do que pode realmente ser real, a sensação mais comum é a falta de controle, incerteza com os dias futuros e uma instabilidade relativa a tudo e a todos. Pessoas infectadas ou com suspeita podem, pelo desespero, apresentar comportamentos impulsivos e até evidenciar tendências suicidas. As pessoas devem procurar não alimentar mais ainda a sensação de medo e pânico que se instaurou.


MUITOS OPORTUNISTAS


Existem sim que estão se aproveitando de toda essa situação de desequilíbrio estrutural e emocional para desestabilizar toda uma sociedade que já vive sob tensão psicológica desde que os primeiros casos foram anunciados. Ao menor sinal de contaminação deve-se buscar orientação de um profissional de saúde e seguir todas as recomendações necessárias. Informação e prevenção são os melhores caminhos.

Tranquilidade e serenidade é o que devemos buscar para nossa vida e para os que estão a nossa volta. E, o mais importante, sem contribuir para a disseminação das falsas notícias que só trazem angústia e alimentam os transtornos psíquicos de toda uma população.


AGRONEGÓCIO CATARINENSE


Manter o Agronegócio competitivo foi a grande decisão da primeira quinzena de Março quando o governo de SC afirmou ser o grande objetivo e não há nenhum projeto para aumentar impostos dos defensivos agrícolas.


IMPORTANTES DEPOIMENTOS


Secretario da Agricultura Ricardo de Gouvêa: “Seguimos ao lado dos produtores rurais, investindo no fortalecimento da agricultura, pecuária, pesca e maricultura de SC para que continuemos como destaque na produção de alimentos”. Secretario da Fazenda Paulo Eli: "Sobre a taxação dos defensivos, esta discussão foi encerrada no ano passado. Não vamos apresentar nenhum projeto sobre o tema". A deputada estadual, Ana Paula da Silva, destacou a sensibilidade do Governo do Estado em ouvir os anseios dos agricultores catarinenses. "Tenho certeza que o governador Carlos Moisés vai trabalhar para que nosso Estado continue tendo destaque no desenvolvimento econômico, sobretudo, na agricultura familiar, onde temos excelentes resultados".


REUNIÃO DO CONFAZ


Em abril será realizada uma reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), para discutir a renovação ou não do Convênio 100/97 para os anos 2020 e 2021, que tem vigência até 30 de abril. Para que seja aprovada a renovação, todos os secretários da Fazenda do país devem votar a favor da concessão.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Coronavírus
17/03/2020
Quirino Ribeiro

“Quem sabe aonde quer chegar, escolhe o caminho certo e o jeito de caminhar”.


China acaba de anunciar o quase controle do Corona vírus. Depois de tocarem o terror e derreterem as bolsas, baixar o preço do petróleo, irão comprar mais barato. Meta batida, como nos outros vírus de gripe produzidos por eles mesmos.


PRA QUEM NÃO ENTENDEU:


EUA e CHINA entram em guerra comercial. Surge um vírus na China, derruba a economia mundial valorizando o dólar. China vende seus títulos do tesouro americano. Estabiliza sua economia e o vírus é controlado. Já dizia Maquiavel "Os poderosos criam dificuldades pra vender facilidades". Esta análise vai na mesma linha penso, mas eu sou cético nestas análises no calor da emoção. Apenas uma opinião e análise dos especialistas.


QUANDO TRUMP ANUNCIOU


A taxação dos produtos chineses, a economia chinesa começou a desacelerar. E foi um baque violento para a China. Algo tinha que ser feito! Houveram algumas negociações, mas nada de acordo. Então, tal qual um raio, recebemos a notícia da epidemia de corona vírus. Criam uma pandemia maligna. As imagens de pessoas desmaiando nas ruas, nas estações de trem, shoppings, sendo recolhidos aos montes por ambulâncias, fez com que se ligasse a chave do pânico na mente das pessoas ao redor do mundo.


A CHINA, CRIADORA DA PANDEMIA 


“Milagrosamente já se recuperou", quase não tem mais casos de corona vírus. O mundo agora começa a sentir os efeitos e se apavorar com a doença. Quem se recuperou primeiro? A própria China! Parece-me que esse vírus, foi uma jogada do governo chinês, como resposta à perda da guerra comercial com os EUA. O objetivo: jogar o mundo em recessão!


NÃO TÁ CLARO O CENÁRIO?


Eles já estão crescendo! A China comprou quase tudo que desvalorizou nas bolsas pelo mundo. Com isso os chineses se tornaram donos das empresas globais que estão na China e sem que o dinheiro saia da China. Daqui a 3 meses o PIB deles vai explodir, aposto! (Afonso Pabst Neto!)


O ÊXITO CHINÊS


Na contenção da doença é visto pelo mundo com certo alívio, diante de sua rápida disseminação por vários continentes, agora principalmente na Europa. De uma população estimada de 1,5 bilhão de chineses, tivemos aproximadamente 4.000 mortes. Este número é assaz ridículo, se comparado com as mortes de gripe comum! Não há estudo anatomopatológico que sustente que estas vítimas morreram de Covid-19! A maioria já sofria de outras patologias que ajudaram no óbito. Mas a discussão médica não é meu objetivo é muito menos a minha competência.


AQUI NO BRASIL


Bem aqui em nosso quintal, temos uma ameaça real, macacos morrendo com febre amarela! Mas isto nem de longe, é a nossa preocupação, pois estamos mesmo preocupados com as notícias veiculadas na imprensa e redes sociais sobre o COVID-19.


PORTANTO, CAUTELA!

 

Elas incluem restrição de mobilidade dentro e entre as fronteiras; quarentena ou isolamento das pessoas que estão com os sintomas ou foram diagnosticadas com Covid-19; disseminação de medidas de higiene e proteção; e estruturação e organização do sistema hospitalar. No Brasil, especialistas acreditam que haverá uma explosão do número de casos nos próximos dias. Epidemiologistas já defendem adoção de medidas internas semelhantes às adotadas pelo país asiático, incluindo inibir a circulação de pessoas e as grandes aglomerações.


ESPERA-SE, CONTUDO


Que o Poder Público traga respostas e estratégias mais rápidas. Como alertam os especialistas, não é prudente esperar dados consolidados. É melhor observar a evolução da doença nos outros países e aprender com as medidas já adotadas.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Pandemia
16/03/2020
Quirino Ribeiro

“A verdadeira medida de um homem não se vê na forma como se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas em como se mantém em tempos de controvérsia e desafio”. (Martin Luther King)


Pandemia não significa que a situação esteja fora de controle, mas que é hora de reforçar as medidas de contenção e enfrentamento. A reação global foi imediata. Desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou, na última quarta-feira, a existência de uma pandemia mundial, com a disseminação do novo coronavírus por mais de cem países, as tensões se agravaram.


NO MERCADO FINANCEIRO


As bolsas despencaram e tiveram o pior desempenho em 30 anos. O Brasil viveu dias de pânico, acionando o circuit braker, um mecanismo que trava operações na bolsa de valores em momentos de pânico ou euforia no mercado, pela segunda vez na semana passada. A cotação do dólar explodiu acima de R$ 5. Na política internacional, Trump vetou voos da União Europeia para os EUA por 30 dias. Na vigilância em saúde, autoridades passaram a difundir e adotar regras mais rígidas para evitar a disseminação do vírus.


APESAR DO NERVOSISMO


No entanto, é preciso ouvir o que a própria OMS vem alertando: declarar pandemia não significa que a situação esteja fora de controle. Pelo contrário, agora é hora de reforçar as medidas de contenção e enfrentamento, adotando estratégias mais agressivas de combate ao vírus.


PELOS CRITÉRIOS ADOTADOS MUNDIALMENTE


Há consenso entre especialistas de que há pandemia quando a doença afeta grande região geográfica; possui elevada taxa de infecção e tem rastreabilidade identificada. Pandemia não significa, obrigatoriamente, a disseminação de moléstia grave, com alto grau de mortalidade. O próprio Covid-19 possui taxa de letalidade de cerca de 3%, sendo mais perigoso para idosos e pessoas que tenham a saúde já debilitada. Portanto não é hora de desespero, mas ação.


A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE


A OMS vem listando um guia de procedimentos para as autoridades: proteger, detectar, tratar e reduzir a transmissão. Especialistas de saúde do país alertam que é preciso estabelecer sistemas de vigilância para detectar rapidamente os casos, organizar equipes da saúde habilitadas para lidar com a doença, com estruturas e equipamentos preparados para o atendimento.


NÃO HÁ REGRAS OU PROCEDIMENTOS PADRÕES


Quanto ao fechamento de estabelecimentos, escolas, aeroportos ou cancelamento de jogos e programações com grande aglomeração de gente. A avaliação de risco está sendo feita caso a caso, conforme cada autoridade envolvida. Mas a divulgação da pandemia provocou um efeito cascata, com centenas de eventos sendo desmarcados ou adiados.


COERÊNCIA


O Governo do Estado reafirmou, frente a deputados e agricultores, a decisão de manter a isenção de impostos para os defensivos agrícolas, durante audiência pública na Assembleia Legislativa na semana passada, com a presença de lideranças, produtores rurais e dos secretários da Fazenda, Paulo Eli; e da Agricultura e Pesca, Ricardo de Gouvêa.


SECRETÁRIO DA AGRICULTURA


Ricardo de Gouvêa foi enfático: "Manter o agronegócio catarinense competitivo é o grande objetivo do Governo do Estado de Santa Catarina e não há nenhum projeto para aumentar impostos dos defensivos agrícolas. Seguimos ao lado dos produtores rurais, investindo no fortalecimento da agricultura, pecuária, pesca e maricultura de Santa Catarina para que continuemos como destaque na produção de alimentos”.


SECRETÁRIO DA FAZENDA


Paulo Eli disse que a discussão sobre a tributação dos defensivos agrícolas está agora em âmbito federal, na pauta do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). "Sobre a taxação dos defensivos, esta discussão foi encerrada no ano passado. Não vamos apresentar nenhum projeto sobre o tema".


REUNIÃO DO CONFAZ


Em abril será realizada uma reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), para discutir a renovação ou não do Convênio 100/97 para os anos 2020 e 2021, que tem vigência até 30 de abril. Para que seja aprovada a renovação, todos os secretários da Fazenda do país devem votar a favor da concessão.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.



Anuncie aqui

(49) 99955-3619
Saiba mais

Ciclone Bicicletas

(49) 3322-3366
Saiba mais

HORÁRIOS DE VOOS

Confira os horários de voos do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso.

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

Confira a programação de cinema do Shopping Pátio Chapecó.

(49) 99955-3619
contato@portaloestenews.com.br

Newsletter

cadastre-se e receba nossas atualizações