O PORTAL DE NOTÍCIAS DO
GRUPO SUL BRASIL DE COMUNICAÇÃO
 Colunistas

Quirino Ribeiro

Com mais de 45 anos de atuação jornalística, Quirino Ribeiro já passou pelos principais veículos de comunicação do País. Atualmente, é gerente comercial do SBT/SC - região Oeste, comentarista na Rádio Chapecó, colunista no Jornal Sul Brasil e, de agora em diante, se fará presente também no Portal Oeste News. De segunda a sexta-feira acompanhe aqui o que é destaque no Brasil. 


E-mail: quirino@scc.com.br

Ferrovia no Brasil
14/02/2020
Quirino Ribeiro

“O modal ferroviário tem uma importância considerável para o mercado brasileiro, pois através dele é possível transportar um volume expressivo de cargas por longas distâncias”.


No Tweet de Tarcisio Gomes de Freitas, Ministro da Infraestrutura, a postagem: “Temos o maior programa ferroviário dos últimos 100 anos e projetamos ampliar a participação do modal no transporte de cargas de 15% para 29%. Até 2022, vamos passar para iniciativa privada 15 mil km de ferrovias, entre renovações e novas concessões. Estamos voltando aos trilhos no Brasil”.


INVESTIMENTOS


O Ministério de Infraestrutura prevê investimentos de R$ 30 bilhões nos próximos 5 ou 6 anos para ampliar a malha ferroviária do país. Os recursos seriam obtidos por meio de concessões. Informações foram detalhadas pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas. O primeiro contrato de concessão foi assinado no ano passado e envolve a Ferrovia Norte-Sul, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D'Oeste (SP). Para este ano, são previstas as concessões da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que ligará Ilhéus (BA) a Figueirópolis (TO), e a Ferrogrão, projeto com origem em Cuiabá (MT) e término em Santarém (PA).


O GOVERNO PLANEJA AINDA


Trabalhar por uma mudança legislativa que permita o regime de autorização. Trata-se de um modelo em que o investidor tem mais liberdade do que no regime de concessão. "Hoje não é possível nós operarmos com autorização nas ferrovias. No setor portuário, nós já fazemos isso. As autorizações abrem uma nova porta. Vale para aquele investidor que quer tomar o risco de engenharia, para que possa empreender e ter a propriedade da ferrovia, ter o benefício da perpetuidade, a liberdade para definir sua tarifa. Isso é importante para quem assume risco de longo prazo e proporciona novos investimentos ferroviários no Brasil".


SEGUNDO UM ESTUDO DE 2018


Da Fundação Dom Cabral, a malha rodoviária é utilizada para o escoamento de 75% da produção no país. As ferrovias respondem por 5,4%. Os impactos causados pela greve dos caminhoneiros de 2018 expôs a dependência do país do transporte rodoviário e gerou um debate público sobre a necessidade de se ampliar a malha ferroviária.


SISTEMA COOPERATIVO EM SC                    


O Sistema cooperativo mantém forte atuação em Santa Catarina. Estudar as mudanças e as transformações dos novos tempos, a melhoria contínua dos processos e aperfeiçoar produtos e serviços para atender a demanda das cooperativas. Essa é a fórmula para manter e ampliar as conquistas do cooperativismo afirma o presidente da OCESC e SESCOOP/SC, Luiz Vicente Suzin ao analisar as expectativas para esta nova década.


EFICIÊNCIA E COMPETITIVIDADE


“Precisamos ser eficientes em todas as áreas para permanecermos competitivos no embate com as empresas mercantis nos segmentos da agricultura, da indústria, do comércio e da prestação de serviços”. Exemplo desse posicionamento é a preparação para o futuro, principalmente pelo crescente uso das novas tecnologias, com a tendência pela automação e pela robotização. “Essas novidades estão chegando cada vez com mais velocidade. Uma das nossas preocupações é capacitar os cooperados para esses novos tempos. Nesse aspecto, as Cooperativas e o Sescoop/SC fazem permanentes investimentos em treinamento, qualificação e requalificação”.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Fórum Mais Milho
13/02/2020
Quirino Ribeiro

“Onde não posso ser eu, prefiro não estar”. (Autor desconhecido)


Inicia hoje em Mafra com abertura as 13h30, a 4ª edição em nível nacional com organização do Canal Rural, e patrocínio da Secretaria da Agricultura, Faesc, Ocesc, Sindicarne, Acav e Fecoagro em SC, e terá na sua abertura o lançamento do Programa de Incentivo ao Plantio de Grãos de Inverno, iniciativa da Secretaria da Agricultura que lidera um pool de outras nove entidades do agronegócio, do cooperativismo e da área técnica agropecuária que objetiva estimular o plantio de trigo, triticale e cevada no Estado, para aproveitamento das áreas de inverno para produção de grãos para ração.


PROTOCOLO DAS ENTIDADES


Cada entidade se compromete com uma parte do Programa, com a finalidade de motivar os agricultores a plantar grãos de inverno. Prevê incentivos do Governo do Estado, participação das cooperativas com fornecimento do pacote tecnológico para pagamento na safra, estímulo da Faesc e da Fetaesc, e compromisso das agroindústrias através do Sindicarne e da Acav em adquirir os grãos desde que atenda as condições do mercado e qualidade nutricional da ração.


ROTA DO MILHO


Será o segundo painel com a participação do secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa; do deputado estadual Marcos Vieira, um dos defensores da Rota do Milho, e de Claudio Post, presidente da Fecoagro, potencial usuário da Rota, através da importação de milho do Paraguai, para a cooperativa Auriverde. O Fórum contará com a participação de agricultores e lideranças da região e será transmitido pela TV COOP em rede com o Canal Rural para retransmitir também ao vivo todo o encontro. (Fonte: Fecoagro)


DIFERENÇA DE SALÁRIOS


De acordo com o Banco Mundial, a diferença no Brasil entre os salários do setor público federal e do privado é a maior dentre os 53 países comparados pela instituição financeira. E fica acima da média internacional, de 21%. O estudo também mostrou que reajustes salariais acima da inflação dados a servidores, mesmo em períodos de queda da arrecadação, foram o principal motor para o aumento da folha de pagamentos dos funcionários ativos da União e dos estados, nos últimos anos.


REAJUSTE DE SERVIDORES


Teve impacto de R$ 6,9 bilhões em 2019, de acordo com o Ministério do Planejamento. O gasto com funcionários ativos é, atualmente, o segundo maior grupo de despesa do governo federal, atrás apenas da Previdência. “Grande parte da pressão nas contas públicas vem da folha de pagamentos e da Previdência, que caminham juntas. O que é feito em relação à folha acaba tendo repercussão nos inativos”.


OBRAS PÚBLICAS EM SC


A Federação das Indústrias de SC, (FIESC) monitora 76 obras e projetos de infraestrutura que estão em andamento no Estado, das quais 97% estão com o prazo expirado ou com o andamento comprometido. As 76 obras e projetos totalizam R$ 6,8 bilhões: sete são do modal aeroviário (R$ 219 milhões), uma do aquaviário (R$ 230 milhões), oito obras referem-se ao Contorno Viário de Florianópolis (R$ 1,2 bilhão), sete estão relacionadas a projetos do modal ferroviário (R$ 153 milhões), outras 24 obras são de rodovias (R$ 4 bilhões), além de 15 ligadas ao saneamento (R$ 790 milhões) e 14 à prevenção a enchentes (R$ 193 milhões).


EM AUDIÊNCIA PÚBLICA


Na Assembleia Legislativa de SC, Martorano, o gerente de transporte e logística da Federação destacou os prejuízos que a falta de infraestrutura traz para o Estado. “Essas obras estratégicas paradas têm implicações sociais e econômicas difíceis de mensurar. Santa Catarina é um estado que tem um dos maiores índices de acidentes para cada 100 km, custo logístico elevado e um dos piores níveis de saneamento (esgoto) do País”.


OBSTÁCULOS


Nem sempre o entrave das obras é falta de dinheiro. Muitas vezes, é questão de gestão. Entre os principais obstáculos para a execução das obras de infraestrutura estão: falta de recursos financeiros, desapropriações, problemas com projetos e estudos, licitações, licenciamento ambiental, emissão de ordem de serviço, sítio indígena e revisão de contrato. (Fonte: FIESC).



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Decisão do STF é vitória social
12/02/2020
Quirino Ribeiro

“Aprender é a única coisa da qual a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende” (Leonardo da Vinci)


Recentemente, o STF decidiu que o não pagamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) declarado pelas empresas será considerado crime de apropriação indébita tributária. Anteriormente, o não repasse do tributo ao Estado era visto apenas como inadimplência. Com a decisão, a pena para o crime será de seis meses a dois anos de reclusão, podendo ser revista caso o pagamento da dívida seja realizado.


VITÓRIA DO CONSUMIDOR


O consumidor, que é quem paga o imposto que está embutido nas notas fiscais, e da sociedade, já que o valor pago em impostos e repassado para os Estados pode e deve ser revertido em saúde, educação e segurança, por exemplo. A decisão do STF beneficia a sociedade, que paga seus impostos e tem respaldo de que o valor será repassado para o Estado e beneficia o próprio Estado, diminuindo o déficit da sua principal fonte de receita; além de fortalecer a atuação e a importância do trabalho realizado pelos fiscos.


COMBUSTÍVEIS


Se até Bolsonaro já concluiu que por mais que a Petrobras baixe seus preços, o custo final não regride, e é um salve-se quem puder! A Petrobras talvez seja a empresa que mais contribui com arrecadação de impostos no Brasil, inclusive royalties. Um bujão de gás de 13 kg sai da refinaria ao custo de R$ 27,72, e é revendido no mínimo por R$ 65,00 nos depósitos, chegando aos R$ 95 pelas milícias. Teve até candidato presidencial derrotado nas últimas eleições que prometeu que este mesmo botijão seria tabelado a R$ 40,00.


ACONTECE QUE:


A proposta de Bolsonaro que visa unicamente confrontar politicamente com os governadores dos Estados, em que diz ‘zero imposto federal se governadores zerarem ICMS’ sobre combustíveis, é inviável. Se Estados zerarem o ICMS sobre combustíveis o prejuízo com a queda de arrecadação será tão maléfico quanto irracional seria se ele revogasse a aprovada reforma da Previdência, que vai gerar economia em dez anos de R$ 800 bilhões.


GLENN


Diante de fartos indícios de que grave crime fora cometido e a Justiça rejeita denúncia contra Glenn Greenwald no caso de hackers, acaba dando clara demonstração de que o Brasil é de fato o paraíso da impunidade. Em País sério restaria apenas a leitura da sentença a ser aplicada ao senhor Glenn. Falar mais o quê?


ELEVADO DA SADIA


As obras na última alça do elevado foram concluídas e o tráfego de veículos pelo local está liberado. Os Agentes de Trânsito estão no local para monitorar e orientar o trânsito. A obra do elevado vai ligar o Contorno Viário Oeste de Chapecó, com a Avenida Leopoldo Sander, ligando o tráfego Sul-Norte na rótula da Avenida Attilio Fontana, próximo da BRF. A obra iniciou em 2014, mas teve uma série de problemas com as mudanças da rede de esgoto, elétrica, além da falta de recursos.


NOVA SEDE BOMBEIROS


Com investimentos que totalizam aproximadamente R$ 5.8 milhões, as obras da nova sede do 6º Batalhão de Bombeiros Militar de Chapecó serão entregues até o final deste mês. A expectativa é que o governador Carlos Moisés da Silva venha a Chapecó para o ato no dia 19, data anunciada, mas ainda não confirmada pela Casa Militar.


SHOW TECNOLÓGICO COPERCAMPOS


Acontece até amanhã em Campos Novos com o slogan: ”Compartilhando soluções para um agro sustentável”. O secretário da Agricultura e Pesca Ricardo de Gouvêa participou da abertura, representando o governador Carlos Moisés. Exposição de máquinas, equipamentos e insumos agrícolas fazem parte do evento que demonstrará inúmeras tecnologias, realização de negócios de bens e serviços na área agrícola e pecuária.


REFERÊNCIA


Com grande visitação a cada evento, o espaço tem se tornado referência para que os agropecuaristas invistam em novas pastagens em suas propriedades. Todas as variedades apresentadas no Dia de Campo são comercializadas nas Lojas Copercampos, o que facilita também o acesso dos produtores às novidades.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

BR-282
11/02/2020
Quirino Ribeiro

“Governar é povoar; mas não se povoa sem se abrir estradas”. (Washington Luís)


Na condição de espinha dorsal do sistema rodoviário catarinense, a BR-282 é essencial para o escoamento da vasta produção agroindustrial do Oeste de Santa Catarina aos portos e aos grandes centros brasileiros de consumo. Por ela transitam milhões de dólares em produtos exportáveis que asseguram as divisas das quais o país precisa para sustentar seu desenvolvimento. Na verdade, é o único caminho para escoar as riquezas exportáveis do grande oeste.


ESTRUTURA


No entanto a BR-282 ostenta infraestrutura incapaz de comportar o número de veículos que trafega diariamente pelo trecho. Concebida como um ícone para integração política, econômica e cultural, mas não previa crescimento tão intenso no transporte de produtos para exportação, o que representa milhões de dólares circulando pelas estradas. Somente a produção agroindustrial soma milhares de toneladas de produtos na linha de carnes, grãos e lácteos transportados todo mês. Sete em cada dez toneladas de carne suína e de aves exportadas pelo Brasil saem do Oeste catarinense.


PREJUÍZOS


Estudos do Instituto de Pesquisas Rodoviárias e do DNIT informam que o mau estado de conservação da rede viária resulta no acréscimo do consumo de combustíveis em até 58%, no aumento no custo operacional dos veículos em até 40%, na elevação do índice de acidente em até 50% e no acréscimo no tempo de viagem até 100%. Estudos apontam que para cada US$ 1 dólar não investido em conservação e manutenção de uma rodovia serão necessários US$ 2,50 para restauração.


IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO


A BR 282 também cumpre a grande função de fazer chegar ao nosso oeste insumos para alimentar todo o plantel da cadeia produtiva da proteína animal e a rota do Milho volta a ser intensificada. A insuficiência de milho em Santa Catarina e o elevado custo de transporte desse grão para o abastecimento interno do Estado preocupam o ramo agropecuário cooperativista catarinense pelo risco de inviabilizar a manutenção desse segmento. Este foi o alerta o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de SC, (OCESC), Luiz Vicente Suzin.


ROTA DO MILHO 


É uma alternativa para a continuidade das atividades e ampliação da competitividade é a Rota do Milho. O projeto consiste em buscar no Paraguai o milho para abastecer a imensa cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura industrial catarinense. Atualmente, Santa Catarina produz 3,5 milhões de toneladas de milho/ano e utiliza aproximadamente 7 milhões, sendo o maior importador do grão do País. Ao suprir esse déficit com o transporte do Centro Oeste brasileiro (Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul) há um encarecimento da produção e uma redução da competitividade das empresas do setor.


TRAJETO


Com a implantação da Rota do Milho, o produto seguirá o seguinte roteiro: será adquirido nos Departamentos de Itapua e Alto Paraná (Paraguai), passará pelo porto paraguaio de Carlos Antonio López, atravessará o rio Paraná em balsas, entrará em território argentino pelo porto de Sete de Agosto e percorrerá até a divisa com o Brasil, sendo internalizado pelo porto seco de Dionísio Cerqueira. Daí para todo o oeste para abastecer a cadeia produtiva.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Regulamentação dos cassinos
07/02/2020
Quirino Ribeiro

“O sucesso é a capacidade de ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo”. (Winston Churchill).


O secretário da Casa Civil de Santa Catarina, Douglas Borba, disse que o governo catarinense está disposto a regulamentar os jogos em cassinos e bingos. Para isso, ele pediu apoio aos senadores para que o governo federal possa delegar competência aos Estados. Atualmente, somente a União pode legislar sobre os jogos de azar.


SANTA CATARINA


Ao receber a competência teria a regulamentação feita pelo governo catarinense, segundo Borba: "seremos os pioneiros". Há um projeto em trâmite no Congresso Nacional pronto para ir à votação na Câmara dos Deputados. Apesar disso, a pressão contrária é grande, principalmente de grupos religiosos e de especialistas em saúde.


JOGOS DE AZAR


Um questionamento! Sem querer defender A ou B, acho que deveriam regulamentar e liberar a jogatina, transformar isso em impostos para aplicar em tantos setores deficitários da sociedade, como saúde, segurança e educação. Se for para restringir o jogo ilegal, tem que fazer com todos. Porque não prendem os que fazem o centenário jogo do bicho? Em cada esquina tem uma banca. Igualmente é ilegal, mas ninguém faz nada. Se for para um, tem que ser para todos. Todos os jogos oficiais, que transformaram a Caixa em um grande cassino não podem sofrer concorrência?


CASSINOS E BINGOS


As apostas estão altas no projeto da legalização dos jogos. Procuradores e Delegados Federais propõem a criação de um fundo de arrecadação sobre os jogos para combate à corrupção e lavagem de dinheiro. A ideia foi bem-vinda no Congresso e no setor, que pretende derrubar a tese de que só cassinos e bingos são ligados à máfia.


GIRA A ROLETA


Os empresários do Jogo torcem pelo projeto do Senado avançar e ser apensado às propostas que tramitam na Câmara. Isso dará celeridade para sanção. Ministros defendem o controle dos jogos para a Caixa, que daria concessões para bingos, cassinos, Bicho. E também fiscalizaria.


O MELHOR DE VIAGEM E TURISMO


Santa Catarina pela 12ª vez recebeu o título de Melhor estado para viajar no Brasil, do prêmio 2019/2020 promovido pelo site Viagem e Turismo, do Grupo Abril. O estado conquistou também a preferência dos viajantes em outras três categorias: "Melhor Parque Temático", o Beto Carrero World, em Penha; "Melhor Resort", o Costão do Santinho, em Florianópolis; "Melhor hotel-fazenda", Rio do Rastro Eco Resort, em Bom Jardim da Serra.


A PESQUISA


Além de reconhecer estabelecimentos e serviços de longo prestígio no Brasil e no Mundo, a pesquisa apontou a importância que o viajante vem atribuindo à internet na hora de decidir por um serviço de viagem. O levantamento mostra que 67% do público faz uso de buscadores e comparadores de preços antes de comprar uma passagem, pacote ou reservar uma hospedagem. Em compensação, o número de quem fecha negócio pela internet é um pouco menor, 49%, o que aponta que o brasileiro ainda prefere o bom e velho olho no olho.


PROGRAMA TERRA-BOA


Santa Catarina quer aumentar a produtividade das suas lavouras. Com o Programa Terra-Boa, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural irá investir R$ 53,5 milhões no apoio à aquisição de sementes de milho, calcário, melhoria de pastagens, apicultura e cobertura do solo. O Programa, que terá 14% a mais de recursos esse ano, foi lançado pela vice-governadora Daniela Reinehr e pelo secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa em Pinhalzinho.


GOVERNADOR CARLOS MOISÉS


“Aumentar a produtividade das lavouras significa tornar nosso estado mais competitivo e melhorar a vida de quem mora no campo. Com o Terra-Boa apostamos naquilo que tanto defendemos: em tecnologia e inovação para contribuir com atividades fundamentais para Santa Catarina, como no caso da agricultura, um dos motores da nossa economia”, ressalta o governador.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

O Brasil é um País “sui generis”
06/02/2020
Quirino Ribeiro

“O sonho pertence a pessoas inteligentes, a realidade pertence aos acomodados”. (Carla Amaral Vidotti)


Um país com altíssimas taxas de desemprego, mas que os trabalhadores preferem ter direitos trabalhistas ao próprio emprego — porque, afinal, cada vez menos empreendedores conseguem gerar empregos com tantos encargos. O Brasil também é um país sui generis porque aqui relegamos o ensino básico ao sucateamento, mas investimos dinheiro público para formar graduados superiores em faculdades estatais.


SUI GENERIS


Porque a Corte Suprema se vê obrigada a legislar e o parlamento, mesmo num país presidencialista, governa. Porque as estradas, os carros e o combustível são piores que nos EUA, mas custam bem mais caro devido aos tributos. Porque aqui não permitimos que um empresário, que sequer tenha contrato com o poder público possa apoiar financeiramente uma campanha eleitoral, mas que o erário (dinheiro do povo) banque 3 bilhões de reais para os chefes de partidos distribuírem ao seu bel-prazer, criando as estatais partidárias.


TRANSFORMAMOS


Os partidos em empresas e, pior, públicas! Agora, no Brasil, os partidos políticos são empresas públicas com seus “CEOs” políticos gerindo polpudos orçamentos e investindo em fábricas de laranjas e sabe-se lá em que outras frutas e hortifrútis. Nada impede que um partido invista sua “receita” na bolsa de valores, por exemplo. Ainda terão dividendos. Quando o Congresso assim legislou, estava legislando pelos caciques políticos, não pelos políticos dos rincões, dos distritos, das áreas urbanas das pequenas cidades, legítimos representantes-raiz do cidadão na ponta da necessidade real.


MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO


Marcam o pleito de 2020 como: a existência do pré-candidato, coligações, financiamento de campanhas eleitorais em cidades médias e pequenas, entre outras novidades. Como ficam as eleições nas cidades do interior? Qual o destino do financiamento público de campanhas eleitorais? Candidatos a prefeito e vereador de cidades médias e pequenas agora percebem que não haverá irrigação até os fundamentos das raízes destas grandes árvores partidárias, e eles serão presas fáceis de financiadores interessados em tirar vantagem do erário.


NÃO HÁ DÚVIDA


De que algo precisava ter mudado. Mas fazer lei sob a fervura de escândalos nunca foi prudente. A solução encontrada para a farra das empreiteiras e dos políticos foi tão radical que piorou o processo. Bastaria manter o financiamento das empresas em campanhas, desde que essa empresa não pudesse ser contratada por qualquer entidade pública ou de economia mista. Simples! Muito simples!


MAS, NÃO NOS ESQUEÇAMOS


O Brasil é um país sui generis demais para ser simples e, então, agora todos terão de conviver com a aberração dos 3 bilhões de verba pública que sequer chegam aos candidatos na ponta. Lamentável! Já estamos começando muito mal as eleições de 2020. (João Miras).


DIGNIDADE AO PRODUTOR RURAL


O presidente Jair Bolsonaro assinou no final do ano passado, medida provisória da Regularização Fundiária e foi criticado, Em resposta disse: “Impressionante. Se o pessoal do campo parar, o pessoal de paletó e gravata morre de fome”, e afirmou: A mudança na legislação dará dignidade ao produtor rural. “Vão poder buscar recursos em banco. Vão produzir mais”. A Medida Provisória (MP) inicia o processo para regularização definitiva das ocupações em terras da União. Ela propõe a simplificação e a modernização da análise necessária para a concessão de títulos, destinados, em sua maioria, a pequenos produtores – com destaque para os assentados.


O PRESIDENTE DISSE, AINDA


Que a população passaria fome se o governo mantivesse a mesma política do governo anterior. Ele afirmou que, no passado, o “sonho” dos brasileiros era comprar uma fazenda. “Hoje, o sonho é vender. Ninguém quer ficar. Só ataque o tempo todo”, comentou. “Deus nos deu as commodities. No campo e embaixo da terra. Embaixo da terra vai acabar um dia. No campo vai se exaurir. Continua a política errada, ainda lá de trás, que estamos tentando mudar para tratar o homem do campo”.

A Medida Provisória (MP) inicia o processo para regularização definitiva das ocupações em terras da União. Ela propõe a simplificação e a modernização da análise necessária para a concessão de títulos, destinados, em sua maioria, a pequenos produtores – com destaque para os assentados.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Superfaturamento de obras públicas
05/02/2020
Quirino Ribeiro

“Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram”. (Voltaire)


Sensoriamento remoto pode ser um aliado no combate à corrupção. Por meio dessa ferramenta, usada para o monitoramento da superfície terrestre, é possível, por exemplo, coletar dados de fiscalização de empreendimentos. Obras públicas superfaturadas, reajustes orçamentários no meio do processo e contratação de serviços adicionais não são novidades em empreendimentos pelo Brasil. Todos os anos, órgãos de prevenção e combate à corrupção denunciam centenas de casos irregulares custeados com recursos federais.


O SENSORIAMENTO REMOTO


Conjunto de técnicas que permite obter informações da superfície da terra à distância, pode ser uma alternativa para se combater esse cenário. Isso é possível graças ao monitoramento remoto de imagens via satélite. Trata-se de tecnologia associada a métodos específicos que permitem obter informações sobre mudanças ocorridas na superfície da terra, através de sensores instalados a bordo de satélites colocados em órbita da Terra.


FISCALIZAÇÃO

 

O sensoriamento remoto pode ser aplicado em vários graus de fiscalização, por exemplo, na medição de etapas de grandes obras, na confirmação se todo o serviço descrito como feito foi de fato feito, na parte de construção de uma ferrovia, rodovia, aeroporto, são inúmeras as possibilidades.


UM EXEMPLO PRÁTICO


Para se entender como o sensoriamento pode ajudar a combater situações de corrupção envolvendo obras, imagine um caso de um proprietário rural que solicita um financiamento para que seja executado determinado plantio. Com essa tecnologia, é possível verificar se esse trabalho foi de fato feito na totalidade da área que foi acertada. Em resumo, para combater corrupção, tanto na contratação dos serviços como durante a execução das obras, o governo federal tem proposto buscar a ajuda dos cidadãos na hora de fiscalizar empreendimentos públicos, por meio de mecanismos tecnológicos como aplicativos para celulares.


CASA DA MOEDA


A turma do PTB ainda não digeriu a perda do controle da Casa da Moeda e segue tentando minar a atual gestão que vem enxugando a maquina para oferecer ao mercado. Em vez de apenas imprimir moedas e selos, a estatal produzia extravagâncias. Tinha, por exemplo, uma equipe medica com 39 pessoas para atender cerca de 2 mil funcionários, incluindo psicólogo, nutricionista, massagista, massoterapeuta, cardiologista, técnicos em radiologia e enfermagem, médicos plantonistas, etc. No país, cerca de 2,9 mil municípios (ou 40 milhões de pessoas) não tem uma equipe de saúde semelhante. (Fonte: Claudio Dantas).


SEBRAE AGRO


Solução digital para produtores rurais foi apresenta no Itaipu Rural Show. Indicadores, clima, pragas e notícias são algumas das funcionalidades do SEBRAE Agro: aplicativo amigo do produtor é uma solução digital voltada a atender às necessidades dos produtores e para auxiliar na tomada de decisões. A intenção é motivar a criação de uma rede de produtores colaborando para compartilhar informações sobre dados da produção e identificação de pragas ou doenças da região de abrangência das propriedades participantes.


É UMA FERRAMENTA COLABORATIVA


Que manterá os dados individualizados de cada propriedade utilizando as informações apenas para formação de indicadores e comparativos. O lançamento do aplicativo está previsto para este ano e será gratuito para produtores rurais de todo Brasil. O “SEBRAE Agro” será disponibilizado pelas lojas de aplicativos.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Obras públicas inacabadas
04/02/2020
Quirino Ribeiro

“Obra inacabada - não é obra”. (Henri Amiel)


Em todo o Brasil, diagnóstico revela a existência de 2.555 grandes obras paralisadas, com total contratado de R$ 89,6 bilhões de reais. O trabalho executado pelos 33 Tribunais de Contas do país identificou que a maioria das obras paradas está na Região Sudeste (32%). O Nordeste concentra 27%, o Norte, 20%, o Centro-Oeste, 11% e o Sul, 10%. Foi constado que a maior incidência ocorre na área da Educação (21,3%), seguida da Infraestrutura (18,8%), do Saneamento (15,2%), da Mobilidade Urbana (15,2%), do Transporte (14,9%).


AS PARALISAÇÕES


Foram motivadas, principalmente, por problemas de repasses de recursos (20,9%), pendências com as empresas contratadas (20,5%), falhas no planejamento (19,1%), contingenciamento (17%), execução (11,3%). Também ficou claro que 50,8% foram determinadas pelo gestor responsável e 9,1% ocorreram diante de abandono pela empresa contratada.


SANTA CATARINA


Levantamento do Tribunal de Contas de SC apontou a existência de, pelo menos, 65 obras paralisadas no Estado, com total contratado de R$ 586 milhões de reais. 43 são de responsabilidade do Estado e outras 22, de municípios catarinenses. As maiores contratações paralisadas envolvem obras rodoviárias e de saneamento básico. A análise dos dados recebidos poderá subsidiar a fiscalização para verificação das causas das paralisações e para a proposição de soluções voltadas à continuidade de obras e serviços essenciais para a sociedade.


SETEMBRO DE 2019


O governador Carlos Moisés sancionou o projeto de lei do deputado Jair Miotto que impede a inauguração de obra pública estadual incompleta ou que não atenda ao fim a que se destina em Santa Catarina. A decisão diz respeito a toda construção, reforma, recuperação ou ampliação de responsabilidade da Administração Direta, Autárquica e Fundacional do Estado.


SEGUNDO A NOVA LEI


Obra incompleta é aquela que não está apta a entrar em funcionamento por motivos como estrutura física inacabada, falta de licenças e alvarás, impossibilidade de uso imediato e inexistência de equipe mínima ou de equipamentos para prestar o serviço público. “Não faz sentido promover a entrega de uma escola se ela não pode receber os alunos”, afirmou o chefe da Casa Civil, Douglas Borba.


BNDES


De acordo com volumosas e isentas reportagens divulgadas nos órgãos de comunicação nacional e internacionalmente, as irregularidades havidas no âmbito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social são tão notórias que saltam aos olhos até mesmo daquele cidadão menos atento e só não vê quem não quer. O fato é que, se a ‘coisa’ toda vier à luz, haja espaço para acomodar o batalhão de figurões que deverão ser ‘internados’ na Superintendência da Polícia Federal!


COOPERATIVISMO


Estudar as mudanças e as transformações dos novos tempos, a melhoria contínua dos processos e aperfeiçoar produtos e serviços para atender a demanda das cooperativas. Essa é a fórmula para manter e ampliar as conquistas do cooperativismo afirma o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina, OCESC e do SESCOOP/SC, Luiz Vicente Suzin ao analisar as expectativas para esta nova década.


FORTE ATUAÇÃO EM SANTA CATARINA


A preparação para o futuro é fundamental, principalmente pelo crescente uso das novas tecnologias, com a tendência pela automação e pela robotização. Essas novidades estão chegando cada vez com mais velocidade. Uma das nossas preocupações é capacitar os cooperados para esses novos tempos.


O SISTEMA COOPERATIVISTA


Pode evoluir ainda mais, contudo, para que isso se concretize é necessário que o Governo vislumbre o cooperativismo como um setor de alto interesse social e comprovada eficiência econômica, que trabalha para o bem-estar da sociedade, criando empregos e gerando riquezas. “Mais do que políticas públicas, o Governo deve abandonar a ideia de aumentar a carga tributária ou retirar programas de incentivos a setores essenciais, como a agricultura”, enaltece. O dirigente antecipa ainda que as parcerias com o poder público devem aumentar nos próximos anos.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Nesta, Bolsonaro pisou na bola
03/02/2020
Quirino Ribeiro

“Honestidade é um presente caro. Não espere isso de pessoas baratas”. (Warren Buffet)


Como é possível para um presidente que se preze taxar fato de ‘imoral’ e de ‘inadmissível acontecimento’ e, por justa razão, exonera faltoso colaborador do Planalto, mas que, a pedido de seu filho senador Eduardo Bolsonaro, volta atrás e renomeia, em questão de horas, o cidadão para outro posto? Como se o nosso País fosse República das bananas!


DETALHE:


Com salário R$ 382,70 menor: ganhava R$ 17.327,60 e passaria a receber R$ 16.944,90. Foi o que ocorreu com Vicente Santini, ex-secretário executivo da Casa Civil, exonerado pelo presidente depois que utilizou avião da FAB para exclusivamente viajar a Davos, na Suíça, e a um país asiático, viagem que custou para o contribuinte aproximadamente R$ 740 mil, ou mais de 700 salários mínimos.


INSEGURO E ASSUSTADO


O presidente Bolsonaro, inseguro da decisão e assustado com as críticas que recebe pelas redes sociais e também aconselhado pelos generais que o cercam, recua e pela segunda vez em menos de 24 horas exonera Santini. No mínimo inusitado o acontecimento.


NESTA BOLSONARO ACERTOU EM CHEIO


A atriz Regina Duarte foi convidada e aceitou ser a secretária da Cultura do governo Bolsonaro. Por conta disso, está apanhando de certas pessoas que temem perder a ‘boquinha’. Um subator de TV vem sistematicamente desrespeitando a atriz. Interessante observar que Regina nunca escondeu de ninguém suas opções políticas. Enquanto ela apanha, não se viu o grupo de feministas reagirem.


NESTE PAÍS SÓ HÁ RESPEITO


Se a pessoa pensar de acordo com a esquerda? E os milhões de votos que elegeram o presidente, quando serão respeitados? Espero que Regina Duarte dê show nessa secretaria, assim como fez nas telas da TV. O Brasil precisa de pessoas que amem o País e não militantes que se sustentam com verbas públicas.


A CHEGADA DO CORONAVÍRUS


Alguém acredita que os órgãos da saúde vão conseguir barrar a entrada do coronavírus pelos nossos aeroportos, portos e fronteiras secas? Acho difícil, pois se entram armas de grosso calibre, bebidas, cigarros pirateados e todo tipo de drogas ilícitas pelas nossas fronteiras, como o governo vai impedir que os microscópicos vírus sejam detectados? É aguardar para conferir!


SAÚDE E METAS


Comer melhor, cuidar da saúde, fazer exercícios e ter rotina saudável são promessas que estão na lista de início de ano de quase todas as pessoas. Porém, é necessário ter disciplina para que metas sejam cumpridas e levadas a sério durante todo o ano.


NOS ESTADOS UNIDOS


Estudo feito na Universidade de Scranton revela que apenas 8% das pessoas conseguem ter sucesso em suas resoluções de fim de ano. Isso faz com que certos desejos se repitam ano após ano, sem serem cumpridos de fato. No topo da lista geralmente estão emagrecimento e rotina mais saudável. Mas é preciso ter disciplina e força de vontade para que hábitos sejam, de fato, mudados.


DESAFIOS DA ELETRIFICAÇÃO RURAL


Energia elétrica é insumo essencial para o desenvolvimento econômico. Em Santa Catarina, as deficiências no suprimento de energia para as áreas rurais e o preço cobrado pelo consumo encarecem a produção e retiram a competitividade de importantes cadeias produtivas do agronegócio.


EM FACE DA ESCASSEZ DE MÃO DE OBRA


Na área rural e da otimização dos processos produtivos, está ocorrendo crescente emprego da automação em todas as atividades. Exemplo expressivo são os modernos aviários, com equipamentos automáticos de climatização em criatórios hermeticamente fechados. Nessa mesma linha, a fumicultura, com o uso de estufas para a secagem das folhas, obedecendo ao padrão de qualidade exigido pelas fumageiras. As atividades de armazenagem de grãos, resfriamento de leite e criatórios automatizados para suínos também são fortemente demandantes de energia.


ESSA TENDÊNCIA É REFLEXO


Da modernização das atividades agrícolas, pecuárias e extrativas que leva produtores e empresários rurais ao crescente emprego de máquinas e equipamentos, cujo funcionamento depende de energia elétrica. Santa Catarina produz anualmente, em cerca de 180 mil estabelecimentos rurais, 800 milhões de aves e 13 milhões de suínos. Nos últimos anos, essa base produtiva vem sofrendo com a deficiência no fornecimento de energia elétrica. (Texto de José Zeferino Pedrozo - presidente da Faesc e do Senar/SC)



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Sem rumo!
31/01/2020
Quirino Ribeiro

“A prosperidade ou a ruína de um estado depende da moralidade de seus governantes”. (Thomas More)


O problema da política no Brasil não é de direita, de esquerda ou de centro. É a falta total de direção, mesmo. Pura e simples!


VIAGENS EM JATINHOS


Rodrigo Maia viajou 238 vezes em jatinhos da FAB e ainda deu carona a 2.131 pessoas, durante o ano de 2019. Número superior ao total de dias de trabalho no parlamento. No recesso de julho do ano passado, o presidente da Câmara foi para Campinas, onde pegou um avião com a família para os EUA.


O PRESIDENTE DA CÂMARA


Não é só recordista em uso e abuso de jatinhos da Força Aérea Brasileira Também é a autoridade que mais viajou nos jatos da FAB durante o recesso parlamentar: foram 11 vezes. Em dezembro, só entre os dias 22 e 25, três viagens. A última de 2019, em jatinho oficial, foi para Campinas (SP). Em 2020, pleno recesso, já são 8 passeios pela FAB. A informação é de Cláudio Humberto, colunista do Diário do Poder.


QUEM PAGA?


Por conta do contribuinte, Maia realizou três viagens para Brasília, três para o Rio de Janeiro, onde reside, e outras duas para São Paulo. O viajante-mor da República passou ano novo em Miami, com a família e amigos. Ao menos abriu mão do desconforto do jatinho da FAB.


DEPUTADOS


Em meio a corte de despesas na administração pública, Câmara gastou R$ 7,1 milhões com bilhetes aéreos. Sob a gestão de Rodrigo Maia, os gastos dos Deputados cresceram 30% em 2019 em comparação com a média dos sete anos anteriores. Quase metade dos deputados foram autorizados a viajar para mais de 70 países em cinco continentes, incluindo capitais turísticas. Foram 105 cidades pelo mundo. Nova York, com 65 viagens, foi o destino preferido dos deputados, seguida de Montevidéu (39), Roma (34) e Lisboa (30).


LIBERDADE DE EXPRESSÃO?


Os indícios são tantos e incontestáveis que não há qualquer sombra de dúvida quanto à culpabilidade do jornalista norte-americano Glenn Greenwald no que se refere à denúncia do Ministério Público Federal que investiga sua atuação na interceptação telefônica e invasão de dispositivo informático alheio, cujos dados surrupiados foram sumariamente divulgados na mídia. Que liberdade de imprensa é essa? Cá entre nós, resta apenas ler a sentença!


CORRIDA MALUCA?


Com a vertiginosa ascensão de Sergio Moro perante a população brasileira desde a sua gloriosa passagem pela Operação Lava Jato, políticos – ou não – que orbitam em Brasília e adjacências e que sonham concorrer a cargo nas altas esferas dos três poderes ‘tremem nas bases’ com a perspectiva de enfrentar Moro como adversário, onde se inclui aí o Jair Bolsonaro, que já propaga aos quatro ventos sua pretensão de se reeleger em 2022.


TROCA-TROCA PARA 2020


Com a presença de lideranças do cooperativismo e do agronegócio, além de autoridades regionais e políticos foi assinada a reedição do programa Terra-Boa, o Troca-troca de sementes de milho, calcário, kit forrageira e outros programas da Secretaria de Agricultura do Estado. Os convênios testemunhados pela vice-governadora Daniela Reinehr foram assinados pelo secretário da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural Ricardo de Gouvêa, pelo presidente da Ocesc e Sescoop/SC Luiz Vicente Suzin e pelo presidente da Fecoagro Claudio Post.


O PROGRAMA


Contemplará subsídios a 300 mil toneladas de calcário, com redução de custo em um terço incluindo o frete até a cooperativa, ou a distribuição gratuita se o agricultor for retirar nas mineradoras; mais 200 mil sacos de sementes de milho, que terão redução de preço dependendo da tecnologia de cada semente optada; 3.250 kits de insumos para cultivo de forrageiras; 500 kits de equipamentos e insumos para apicultura; e mil kits de insumos para o programa solo saudável que pretende estimular a adubação verde.


O INVESTIMENTO TOTAL DO GOVERNO DO ESTADO


Nos programas será de R$ 53 milhões neste ano, e contará com a parceria das agroindústrias, cooperativas e casas agropecuárias. A coordenação dos programas continuará sendo da Fecoagro. O Terra-Boa, ou o Troca-troca, como é mais conhecido, atende apenas agricultores familiares enquadrados no Proagro. (Fonte: Fecoagro)



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.



Anuncie aqui

(49) 99955-3619
Saiba mais

Ciclone Bicicletas

(49) 3322-3366
Saiba mais

HORÁRIOS DE VOOS

Confira os horários de voos do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso.

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

Confira a programação de cinema do Shopping Pátio Chapecó.

(49) 99955-3619
contato@portaloestenews.com.br

Newsletter

cadastre-se e receba nossas atualizações