O PORTAL DE NOTÍCIAS DO
OESTE CATARINENSE
 Colunistas

Quirino Ribeiro

Com mais de 45 anos de atuação jornalística, Quirino Ribeiro já passou pelos principais veículos de comunicação do País. Atualmente, é gerente comercial do SBT/SC - região Oeste, comentarista na Rádio Chapecó, colunista no Jornal Sul Brasil e, de agora em diante, se fará presente também no Portal Oeste News. De segunda a sexta-feira acompanhe aqui o que é destaque no Brasil. 


E-mail: quirino@scc.com.br

Daniela Reinehr assume Governo em SC
28/10/2020
Quirino Ribeiro

“A primeira qualidade de um comandante é cabeça fria para receber uma impressão correta das coisas. Não deve deixar-se confundir quer por boas quer por más notícias”. (Napoleão Bonaparte).


A vice-governadora, sem partido, assumiu ontem o governo estadual, interinamente, em função do afastamento do governador Carlos Moisés da Silva, que passará a condição de denunciado, com redução dos vencimentos em 1/3, como fixado na legislação do impeachment.


NOVO COMANDO


A governadora Daniela Reinehr foi salva pelo voto do deputado Sargento Lima do (PSL), o único entre os parlamentares que optou apenas pelo afastamento de Moisés, e forçou o voto de desempate do presidente do Tribunal de Justiça, o desembargador Ricardo Roesler.


COM O ACOLHIMENTO DA DENÚNCIA


Contra o governador afastado, o processo de impeachment entra em uma nova fase, agora tanto a acusação como a defesa tem a possibilidade de apresentar novas provas e designar testemunhas, inclusive com o depoimento de Carlos Moisés. São necessários sete votos para que o impeachment seja confirmado.


EXPECTATIVA


Agora, resta saber se a governadora está preparada para assumir o governo do estado e o que ela, como oestina, poderá fazer pelo oeste catarinense e pelo agronegócio que ela tão bem conhece.


O AGRONEGÓCIO CATARINENSE


Vê com tranquilidade e otimismo a posse da vice-governadora Daniela Reinehr no comando do Poder Executivo de Santa Catarina. A manifestação é do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc) José Zeferino Pedrozo.


O DIRIGENTE


Mostra que, além de ser advogada e produtora rural, Daniela conhece profundamente a economia primária catarinense e as características das principais cadeias produtivas, como a suinocultura, avicultura, pecuária de corte, bovinocultura leiteira, milho, soja, feijão e trigo.


NO ANO PASSADO


Em um período de fortes discussões entre o governo catarinense – que desejava eliminar a política de incentivos fiscais dos insumos agrícolas – e os produtores rurais, a vice-governadora posicionou-se fortemente em favor das entidades do agronegócio. Depois de muito desgaste, o governo mudou de posição e reinstituiu os incentivos, como fazem todos os Estados da Federação.


ESSE EPISÓDIO FOI SUPERADO


E a relação entre o governador e o setor agropecuário tornou-se muito "produtiva e respeitosa", com amplo diálogo mediado pelo secretário da Agricultura, Ricardo De Gouvêa.

O presidente Zezo Pedroso assinalou que é essencial manter todos os programas orientados para a agricultura, a pesca e a pecuária, pois esses setores se tornaram a locomotiva do desenvolvimento econômico barriga-verde.


A FAESC


Não comenta a questão do afastamento que pode culminar na cassação ou na absolvição do governador "por se tratar de um processo jurídico-político de responsabilidade dos Poderes Judiciário e Legislativo". Entretanto, a Federação espera que as instituições funcionem com total regularidade e que os processos transcorram em ritmo de normalidade, sem prejudicar a ação estatal e sem afastar empreendedores interessados em investir em Santa Catarina. (Fonte: Federação da Agricultura e Pecuária do Estado - Faesc).



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Mobilidade urbana
27/10/2020
Quirino Ribeiro

“Mobilidade Urbana no século XXI – O ir e vir em questão na sociedade brasileira”.


O tema é um dos principais desafios dos governos municipais e não pode ser considerado menor ante a sua relevância para a população. A mobilidade urbana é matéria recorrente na rotina das cidades com ênfase na campanha eleitoral, uma vez que os candidatos à Prefeitura terão que discutir o tema. Com cerca de 250 mil habitantes a cidade tem gargalos próprios que precisam ser discutidos sistematicamente.


ESPECIALISTAS


Apontam soluções e a Administração destaca as ações que estão em curso e outras que serão herdadas pela próxima legislatura, além do transporte público, pedra de toque em todas as discussões, diante da sua relevância para a população.


CHAPECÓ


Faz parte dos municípios em que o sistema é totalmente financiado pelas passagens, tornando-se, pois, um problema, com a redução drástica do número de usuários e da ação temerária de benefícios a diversos setores que ficam isentos de pagar a passagem. O gesto, em princípio nobre, torna-se um problema, pois a conta vai cair no colo dos demais usuários do transporte.


COM A QUEDA DE USUÁRIOS


E sem outras fontes de financiamento, a equação não fecha, e surge, aí, um dos principais desafios do próximo gestor. Antes mesmo da pandemia do coronavírus, a empresa já vivia a redução, em parte, pelo transporte alternativo de aplicativos e, sobretudo, pela própria dificuldade da população em garantir um custo mensal para sua mobilidade.


A MOBILIDADE


Porém, não se esgota nessa agenda. A cidade carece de uma ciclovia para atender à crescente demanda de usuários. Entra e sai governo, mas a proposta não sai do papel. Percebe-se que a matéria nunca entrou nas prioridades dos gestores municipais.


O DESENVOLVIMENTO


Da cidade depende de olhar para temas relevantes e de interesse da municipalidade, dentre eles: aspectos sociais, demográficos, econômicos, finanças públicas, infraestrutura e a dinâmica empresarial e do mercado de trabalho. Os setores que vão bem como a saúde, a educação, a segurança, a limpeza urbana, com 100% de atendimento a coleta de lixo, entre outros, tem que potencializar.


ALGUNS NÚMEROS


Mostram um desafio, como por exemplo, o crescimento de Chapecó acima da média de Santa Catarina e dos municípios irmãos. Isso demonstra que precisa, por meio de projetos, investir em infraestrutura, logística, mobilidade urbana, nas vias de acesso, nos elevados, na duplicação da Leopoldo Sander, entre outros aspectos.


AURORA EM EXPANSÃO


A Cooperativa Central Aurora Alimentos comunicou à sociedade regional que a proposta anteriormente formulada para aquisição da unidade industrial de abate e processamento de aves pertencente à Massa Falida da Chapecó Companhia Industrial de Alimentos, localizada em Xaxim (SC), foi julgada vencedora pelo Juízo da 3ª Vara Cível da Comarca de Chapecó.


A DECISÃO DE COMPRA


Levou em conta que a agroindústria tem grande importância na geração de empregos e no fomento à economia regional. A unidade emprega diretamente 2.379 trabalhadores, está habilitada para exportar para vários mercados, tem capacidade para abate de 191.000 frangos por dia ou 47,7 milhões de aves por ano.


ESSA PLANTA INDUSTRIAL


Estava arrendada para a Aurora desde dezembro de 2012. A aquisição abrange todo o conjunto produtivo da Massa Falida, o que inclui, além do abatedouro, as seguintes estruturas: fábrica de rações, incubatório, setor de congelamento da unidade industrial, armazéns e granjas-matrizes. Sem dúvidas representa um grande investimento da Aurora com atuação nacional e internacional, sem deixar de dar atenção ao regional. (Fonte: MB Comunicação).



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Eficiência - Único critério
26/10/2020
Quirino Ribeiro

“Todos nós somos ignorantes, só que em assuntos diferentes”. (Will Rogers)


Na primeira etapa da pandemia, a queda de braço entre governadores e o Governo federal acabou provocando um desencontro de ações que se refletiram no expressivo número de mortes no país. O Brasil, com mais de 155 mil mortos, presenciou decisões descoordenadas afetarem, especialmente, os municípios. Nesse período, três ministros da Saúde passaram pela Esplanada dos Ministérios, dois deles afastados por não comungarem com as decisões do Planalto.


SUPERADO ESSE IMPASSE


E quando se esperava que não haveria outros ruídos, a vacinação entrou no centro da polêmica. Primeiro pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de desconsiderar a sua obrigatoriedade, como defendem alguns estados. Até aí, tratava-se de uma diferença conceitual, entre os que entendem ser necessário exigir a imunização e os que consideram ser uma decisão de foro íntimo, algumas até por motivações religiosas.


O IMPASSE SE ESTABELECEU


Na terça-feira da semana passada, quando o Ministério da Saúde anunciou a compra de 46 milhões de vacinas da China, em comum acordo com os governadores, e o presidente, após provocação de um seguidor, garantiu que essa operação não vai ocorrer.


ESSA DECISÃO


Estava escudada na origem do produto. O seguidor questionou o fato de a vacina ser chinesa, e o presidente endossou ao garantir que não iria autorizar tal compra, afinal, como disse em alto e bom tom: “O presidente sou eu”.


TAL MEDIDA SE FOR CONCRETIZADA


É preocupante quando se coloca o viés ideológico em meio a um debate que deveria ser eminentemente técnico. Se a vacina, independentemente de sua origem, for eficaz, ela deve ser encaminhada à população, ávida por um medicamento que acabe com a agonia da espera pela cura. A ANVISA, num primeiro momento, disse que vai adotar o critério científico, mas já não há certeza do próximo passo.


NESSA QUEDA DE BRAÇO


Entre governos estaduais e o Governo federal, o único perdedor é o povo, como ocorreu no primeiro enfrentamento. A própria base do Governo deve estar atenta ao fato de a vacina não ter alvo específico. Ela visa à imunização coletiva, o que envolve seguidores e adversários da atual gestão. Colocar a política numa discussão dessa é o pior dos mundos.


COMO A DISCUSSÃO


Ainda está em torno de um produto indisponível, espera-se que os bombeiros entrem em campo e apontem para a importância da imunização, que significa, mesmo com algumas restrições, uma volta à normalidade. A vacina, seja ela de onde for, tem que ser pautada, única e exclusivamente, pela sua eficiência.


O COOPERATIVISMO E A PANDEMIA


A pandemia do novo coronavírus colocou à prova muitos modelos de organização e a capacidade de reação humana. Adaptação foi a palavra de ordem. Rigorosa observância das práticas de profilaxia, higiene e conduta de segurança sanitária foi a senha para sobreviver. Nesse ambiente de atenção e preocupação destacaram-se, mais uma vez, os diferenciais do cooperativismo.


AS COOPERATIVAS


Foram criativas e inovadoras, propondo e protagonizando ações nas esferas do individual e do coletivo tanto para a manutenção das atividades profissionais e empresariais, quanto no apoio aos setores vulnerabilizados pela pandemia. Ações sociais e assistenciais ditadas pela solidariedade no atendimento a idosos, doentes, deficientes e crianças em situação de risco se misturaram às atividades de proteção aos negócios locais.


EMPREGOS FORAM MANTIDOS


E famílias não caíram na miséria. Aflorou um efeito periférico das sociedades e empresas cooperativistas que é a evolução da sociedade locorregional envolvente, transformando-as em comunidades ativas, humanas, solidárias, libertárias e pluralistas que não esperam a ajuda do Estado: elas sabem que vencer o imobilismo e propor ações práticas no contexto do microcosmo dão muito mais resultados do que esperar que a máquina do Poder Público se mova em socorro aos cidadãos. (Luiz Vicente Suzin – Pres. da Ocesc).



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Eleições
23/10/2020
Quirino Ribeiro

“Quem vende seu próprio voto não tem moral para chamar os políticos de corruptos”.


Por que nenhum candidato a vereador, durante campanha, fala abertamente do seu interesse em, após as eleições, caso eleito, abrir mão de todos os votos recebidos e aceitar o ‘convite’ do prefeito para assumir alguma secretaria?


NESTE ATUAL MANDATO


Diversos vereadores eleitos deixaram de exercer o mandato pelo qual foram eleitos e assumiram alguma secretaria, e agora os mesmos têm a coragem de pedir votos novamente, como se tivessem respeitado os votos recebidos! É muita cara de pau! Vocês, vereadores-secretários, não representam o povo e não merecem nosso voto. Lamento.


HISTÓRICO


As eleições estão se aproximando e os comentários de sempre são os de que nenhum candidato tem valor e que vão participar do pleito apenas para ‘pegar boquinha’ e se ‘dar bem na vida’. Em parte isso é grande verdade, porém, existem pessoas sérias e honestas que almejam construir algo em benefício da coletividade.


É PRECISO ATENTAR AO HISTÓRICO


De vida de cada postulante, consultando ferramentas simples à disposição, como sites de busca, e aprendendo a identificar notícias falsas com essas mesmas ferramentas. As fake news pelas redes sociais influenciaram sobremaneira as últimas eleições valendo-se da boa-fé de muitos e a má-fé de outros tantos.


BUSCANDO INFORMAÇÕES


Sem discriminar posições contrárias, podemos votar com mais segurança, mesmo porque, o voto é um dos únicos meios que dispomos na construção da democracia. Abrir mão dele significa deixar a Nação nas mãos de minoria já poderosa economicamente que flerta com autoritarismo e exclusão da população de processos decisórios. E atenção, templos religiosos são locais de oração, comunhão e solidariedade e não currais eleitorais. Fujam dos falsos profetas. Vote consciente. A sua cidade merece.


COM A APROXIMAÇÃO DAS ELEIÇÕES


Aqui vai alerta a todos os eleitores que estarão na frente das urnas em 15 de novembro próximo. Excluindo exceções, tanto os novos candidatos e os que pleiteiam a reeleição, a maior parte deles está pouco se importando com sua própria moral, assim como de suas mulheres, filhos, netos etc., quanto menos com a do povo que poderá elegê-los.


PORTANTO, NÃO SE VENDAM!


Por ‘dinheiro de pinga’, cesta básica, pagamentos de contas de luz, ou por quaisquer outras propostas ou benefícios pífios que venham lhe oferecer. Pois a irresponsabilidade diante das urnas poderá proporcionar quatro anos de mordomias a esses candidatos, mais conhecidos como ‘sanguessugas’, e, ao mesmo tempo, quatro anos de inferno para você, sua família e a toda população brasileira. Vote com dignidade.


ESTIAGEM


Volta a prejudicar produção em Santa Catarina. Falta de água provoca desabastecimento das propriedades rurais e compromete lavouras de milho. O déficit hídrico já ultrapassa 700 milímetros neste ano estado e a escassez de chuvas volta a preocupar a produção agropecuária no Estado. O alerta é da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) ao citar o desabastecimento das propriedades rurais e os prejuízos nas lavouras de milho como principais problemas enfrentados no momento.


O PRESIDENTE JOSÉ ZEFERINO PEDROZO


Ressalta que a Federação está em contato com a Secretaria de Agricultura do Estado e com demais órgãos do Governo para buscar soluções e auxiliar os produtores rurais catarinenses. “A situação é muito preocupante. Muitos produtores estão tendo que investir na contratação de caminhões pipa para abastecer as propriedades e os que iniciaram o plantio de milho já têm prejuízos com a má germinação dos grãos, devido à falta de umidade no solo”, detalha o dirigente.


O PROBLEMA MAIS GRAVE


É na região oeste, onde os produtores estão contratando caminhões pipas para assegurar o abastecimento de aves e suínos. O milho para silagem já foi plantado e, devido à estiagem, renderá menos volume do que o previsto para o ano. A soja, que tem plantio iniciado no final de outubro, também pode ser prejudicada, já que as previsões não indicam chuvas suficientes para os próximos meses.


CONFORME O VICE-PRESIDENTE


Da FAESC, Enori Barbieri, a estimativa de área plantada no Estado para a safra é de 320 mil hectares de milho comercial e 220 mil hectares de milho para silagem. Segundo ele, a estiagem já comprometeu a produção catarinense. “A previsão de colheita de 2,5 milhões de toneladas de milho na safra 2020/2021 em Santa Catarina certamente não será alcançada. O Estado terá que importar ainda mais milho no próximo ano”. Fonte: MB Comunicação



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

A soltura do traficante André do Rap
22/10/2020
Quirino Ribeiro

“Anima-te por teres de suportar as injustiças; a verdadeira desgraça consiste em cometê-las”. (Pitágoras)


Homem forte do PCC (Primeiro Comando da Capital), pelo ministro Marco Aurélio de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), não compromete apenas a ordem e a segurança pública, como justificou o presidente do STF, Luiz Fux. Essa medida jurídica também abala a moral e as estruturas da instância máxima da Justiça.


MINISTRO MARCO AURÉLIO


Trouxe à tona um ‘trambique’ que traria sérios prejuízos ao País, com a liberação futura de bandidos de menor potencial que o tal de André do Rap, mais em quantidade muito superior, já que esse artigo de lei foi dirigido para libertar muito trambiqueiro. Interessante que ninguém entrevistou o autor da lei, o deputado federal Lafayette de Andrada, para que explique a que e a quem se destina o tal artigo de lei.


TIRA DA GAVETA


Foi esdrúxula, estranha e suspeita liberação de chefão do crime organizado no feriadão. Diante disso, torna-se mais do que necessário e evidente que Rodrigo Maia precisa tirar da gaveta, sair de cima da PEC do deputado Alex Manente, que trata da prisão em segunda instância – e dar andamento no processo.


CLARO QUE O ‘BOTAFOGO’


Da planilha da Odebrecht e muitos parlamentares têm até arrepio de tocar neste assunto. Motivos são óbvios. A sociedade precisa cobrar. Meios de comunicação têm de, mais do que nunca, dar ênfase e trazer esse tema para discussão e, juntos, pressionar o Congresso a se mexer e dar andamento em assunto de extrema importância. Tema de tamanha relevância, entendo que deveria ser com voto aberto, assim como é no processo de impeachment.


IRONIAS


Ainda bem que no Brasil não existe mais corrupção, a ponto de o presidente acabar com a Lava Jato. Ainda bem que dinheiro na cueca não é mais encontrado no Brasil. Ainda bem que a mulher e os filhos do presidente são honestos. Ainda bem que conseguimos mudanças ao tirar o PT do poder. Ainda bem que Bolsonaro é bom para o povo. Ainda bem que brasileiro sabe votar. Ainda bem que existem Papai Noel e Coelhinho da Páscoa.


QUE JUSTIÇA FALIDA ESTÁ A DO NOSSO QUERIDO BRASIL


Mas, infelizmente, o maldito ‘poder da injustiça’ parece que contaminou nossa Nação. Assim como o povo aguarda a descoberta da vacina para conter a pandemia da Covid, vamos torcer para que descubram com urgência antídoto para acabar com aqueles que querem acabar com o Brasil.


PROTEÍNA ANIMAL


Mercado da proteína animal é promissor, afirma Ricardo Santin. O Presidente da ABPA (Associação Brasileira da Proteína Animal) apresentou números e tendências do setor em webinar promovido pela Mercoagro.


A PANDEMIA


Fez o mundo pensar melhor na sua alimentação e qualidade dos alimentos. O Brasil não só conseguiu manter, mas aumentou sua produção e não parou durante esse período, com o setor e todos que nele trabalham dando o seu melhor para não faltar alimentos.


O BRASIL


É o terceiro maior produtor mundial de carne de frango (13,246 milhões de toneladas, 13,4% da produção mundial), e o primeiro exportador mundial (4,21 milhões de toneladas, 35% das exportações mundiais). O País é o quarto maior produtor mundial de suínos (3,983 milhões de toneladas, 3,9% da produção mundial) e o quarto maior exportador mundial (750 mil toneladas, 8% das exportações mundiais).


O SETOR


Gera um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 80 bilhões e 4,1 milhões de empregos, sendo 500 mil trabalhadores em chão de fábrica. “É um número que estou começando a usar agora que é orgulho para um município como Chapecó e região de abrangência da Mercoagro e para nós do setor de avicultura e suinocultura”, frisou Santin, ao acrescentar que o Brasil está bem posicionado tanto na produção, quanto no aumento dela. “Em 2026/2027 o Brasil precisa produzir 41% a mais de alimentos”. (Fonte: MB Comunicação)



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

PIX - Pode transformar sua vida financeira
21/10/2020
Quirino Ribeiro

“Na era tecnológica o mundo se transforma rapidamente, como a velocidade da luz, já a educação caminha a passos lentos". (Adelson Correia).


Sistema de pagamentos que vai ser oficialmente lançado em 16 de novembro, o Pix permitirá fazer transferências de dinheiro entre pessoas e para estabelecimentos, além de pagamentos de contas em tempo real em qualquer dia e hora, inclusive fins de semana e feriados. Seguem 5 curiosidades sobre esta ferramenta e como ela vai transformar sua vida financeira.


TRANSFERÊNCIAS 24 HORAS POR DIA


Todos os dias – TED entre bancos diferentes, por exemplo, normalmente é compensada em um dia e, se realizada no fim de semana ou feriado, apenas no próximo dia útil. Com o Pix, as transações podem ser feitas em tempo real, 24 horas por dia e em todos os dias do ano.


CUSTO PRATICAMENTE ZERADO


Em transações o Pix permitirá que o valor a ser pago ou transferido saia direto da conta do usuário pagador para a do recebedor, seja ele pessoa física ou estabelecimento, sem necessidade de intermediários. Por isso, a transação é muito mais rápida, de até dez segundos, e também praticamente zera custos, liberando usuários de pagar taxas nas transferências para outros bancos, por exemplo. O Pix também fará pagamentos utilizando QR Codes de estabelecimentos ou de contas específicas já com valores predeterminados.


NÃO É NECESSÁRIO INSTALAR OUTRO APLICATIVO


Para usar o Pix em seu celular não é necessário instalar outros aplicativos. Isso porque apps dos bancos ou das carteiras digitais que fornecerão o Pix já contam com a ferramenta disponível a um clique. Basta clicar no ícone do Pix para acessar a área exclusiva ao sistema.


SIMPLICIDADE


Na hora de fazer uma transação – em vez de informar nome, CPF, agência e número da conta cada vez que for fazer transferência, com o Pix basta informar a chave cadastrada, que pode ser e-mail, CPF ou número de celular. Cada usuário pode cadastrar até cinco chaves diferentes utilizando estes dados. Assim, basta acessar o Pix no app do banco ou da carteira digital e preencher a chave da pessoa para quem deseja enviar o dinheiro e o valor a ser transferido.


PORTABILIDADE


Para as chaves do Pix – se você fez o seu pré-cadastro em banco utilizando o CPF, por exemplo, deve utilizar outro dado, como número de telefone celular ou e-mail, para cadastrar nova chave em outra conta ou banco. Ou seja, não será possível utilizar a mesma chave para contas distintas e/ou em bancos diferentes. Uma vez cadastrada em uma conta/instituição, a chave somente poderá ser utilizada nesse banco.


O PIX PERMITE


Cadastrar, excluir, solicitar portabilidade e reivindicar titularidade de chaves, como é o caso de números de telefones celulares que são trocados pelos usuários com mais frequência. Tudo será feito no aplicativo do seu banco, na área destinada ao Pix.


CAMALEÕES POLÍTICOS


Camaleões distinguem-se de outros lagartos pela sua habilidade em trocar de cor, por sua língua rápida e certeira e por seus olhos, que possuem visão de 360 graus. Nossos políticos assemelham-se muito a camaleões, haja vista conseguirem perscrutar o cenário com seu olhar oportunista, iludindo incautos eleitores com sua língua rápida e trocando de partido de acordo com o momento. Eleição é coisa séria. Antes de decidir seu voto, verifique os antecedentes dos candidatos para não ser iludido e votar em camaleões.


A SOLTURA DO TRAFICANTE ANDRÉ DO RAP


Homem forte do PCC (Primeiro Comando da Capital), pelo ministro Marco Aurélio de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), não compromete apenas a ordem e a segurança pública, como justificou o presidente do STF, Luiz Fux. Essa medida jurídica também abala a moral e as estruturas da instância máxima da Justiça. É parte que seria trágica, se não fosse cômica, onde o governador João Doria anuncia força-tarefa da polícia para tentar recapturar André do Rap. Como se o condenado estivesse fazendo turismo pelo Estado de São Paulo.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Desafios da saúde
20/10/2020
Quirino Ribeiro

“A vida é feita de desafios, o que nós podemos fazer é superá-los”. (Teen Wolf)


Manter o enfrentamento à pandemia do coronavírus é um dos principais desafios da gestão a ser inaugurada em 1º de janeiro de 2021, pois a cura ainda vai percorrer um longo caminho.


A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS


Que na Europa passa por uma preocupante segunda onda, exigindo medidas drásticas dos governos, é um dos principais desafios dos gestores públicos e ficará como herança para os próximos administradores municipais, a serem eleitos no pleito de novembro. Sem a vacina, as medidas de enfrentamento deverão continuar em níveis extremos, para evitar esse refluxo, que joga o primeiro mundo no ponto zero.


NO ENTENDIMENTO DOS ESPECIALISTAS


Controlar uma possível nova onda da Covid-19 será um dos maiores desafios da nova gestão. O monitoramento de dados epidemiológicos e o acompanhamento técnico, além de infraestrutura da rede, serão as principais balizas para controle da pandemia.


O TEMA


Ainda não chegou aos palanques em decorrência, talvez, da ausência do prefeito Luciano Buligon em Chapecó na corrida eleitoral. Ele seria o alvo preferencial dos adversários, sobretudo em torno das decisões tomadas para combater a doença. Em cenários como esse, não dá para jogar para a arquibancada, mesmo com reflexos na popularidade.


O PRÓXIMO PREFEITO


Terá que estar apto a manter o enfrentamento, uma vez que, mesmo com o advento da esperada vacina, ainda haverá um longo percurso até se chegar a uma imunização de rebanho. Por isso, é fundamental que todos os candidatos tenham estratégias para essa demanda. A maior parte de procedimentos eletivos, considerados não urgentes, ainda está suspensa no município e sem data definida para ser retomada. Nesse sentido, o desafio que se coloca à frente de quem assumirá a Prefeitura em 2021 passa por medidas de controle à pandemia, mas que também garantam assistência em demais áreas da saúde.


COMO O CORONAVÍRUS


É apenas uma das pontas das demandas da saúde, já que outras doenças continuam exigindo atenção, investir na atenção primária tornou-se uma necessidade de ampla prioridade, a fim de evitar a progressão dos casos. A cidade precisa manter a desempenho na saúde, que faz dela uma referência, bastando ver o fluxo de pacientes de outras regiões e até de outros estados. O desafio para garantir tal desempenho, também no serviço público, é um dado permanente.


DESEMPENHO DO AGRO NAS EXPORTAÇÕES


Entre as carnes, a suína e a bovina foram as de melhores desempenhos nas exportações. A expansão da carne bovina de 23%, chegando a US$ 776 milhões em julho deste ano. O aumento ocorreu principalmente em função das vendas de carne bovina in natura à China, que cresceram 143,3%, atingindo US$ 375,50 milhões.


PAÍSES COMPRADORES


Quanto aos mercados compradores, o crescimento de quase US$ 1 bilhão nas exportações para a China explica a expansão das vendas externas em julho deste ano. As vendas ao país asiático atingiram US$ 3,85 bilhões (aumento de 34,3%) ou uma participação de 38,4% de todo o valor exportado pelo Brasil em produtos do agronegócio.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Dia do Professor
16/10/2020
Quirino Ribeiro

“A educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida”.


Celebrado ontem tem muito a ser comemorado. Em essência, a atuação dos professores sempre envolveu entrega descomunal. Entretanto, essa constatação ficou escancarada para a sociedade brasileira, sobretudo para pais e responsáveis, durante a pandemia. Exercício profissional, diante da necessidade de aulas remotas, tornou-se verdadeira maratona de superação e amor pela educação.


PARA SE TER IDEIA


Levantamento que questionou o quanto docentes estavam preparados para usar, no ensino, as Tecnologias da Informação e Comunicação, mostrou que, no Brasil, somente 64,2% se sentiam confortáveis com a temática. Ou seja, a cada três professores, uma teve que superar muitas barreiras para continuar ministrando aulas.


COM CONVICÇÃO,


Digo que essa conduta dos professores não me surpreendeu, porque sempre soube da dedicação que envolve a decisão de se tornar educador no Brasil. Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem aponta que entre principais motivações para ingressar na profissão estão a possibilidade de contribuir com a sociedade (97,2%); chance de influenciar o desenvolvimento de jovens e crianças (95,4%); e a atividade permitir ao profissional beneficiar pessoas menos favorecidas socialmente (93,7%). Professores – ao lado dos profissionais da saúde – são alguns dos protagonistas do momento que vivemos.


DIANTE DAS HISTÓRIAS DE SUPERAÇÃO


Alguns decidiram caminhar quilômetros para levar atividades para alunos sem internet; outros tiveram que conciliar a vida profissional e a dinâmica familiar em mesmo ambiente; e houve os que abriram diálogo com pais e responsáveis para juntos encontrarem a melhor alternativa educacional – confesso que a solidariedade entre docentes foi algo que me comoveu.


PESQUISA


A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico mostrou que 39% utilizaram sugestões dadas por outros professores. A troca entre eles foi muito grande; amparo e empatia entre pares. Mas, claro, o período não envolve apenas superação; engloba preocupações, sobretudo equilíbrio emocional dos professores e risco de voltar às aulas presenciais sem vacina. Vejo que, como sociedade, estamos todos aprendendo juntos.


NO LIVRO ANTIFRÁGIL


Coisas que Se Beneficiam com o Caos, de Nassim Nicholas Taleb, há conceito que ilustra muito bem o momento que vivenciamos. Antifrágil está para além do que é resiliente e robusto; resiliente resiste a impactos e permanece o mesmo. Antifrágil fica melhor, porque enfrenta choques e cresce com eles, ou seja, melhora diante de situação inesperada. Enxergo educadores brasileiros sendo pautados por essa conduta. Por isso, a eles, a minha admiração.


A TODOS OS PROFESSORES


Sem distinção, meu agradecimento e minha admiração. A vocês todo meu carinho. Muito grato sou por todo o repasse de valiosos ensinamentos. Torço muito para que tenham o reconhecimento merecido, mestres, tanto pessoal quanto profissional.


PROGRAMA JURO ZERO


Programa Juro Zero estimula investimentos e o crescimento de pequenos negócios no Estado. Só no mês de agosto, o programa registrou a marca de R$ 5,2 milhões em concessões de crédito, para mais de mil MEIs catarinenses. É o carro-chefe na formalização de Microempreendedores Individuais e no incentivo aos pequenos negócios em SC.


COMPARANDO AGOSTO DE 2020


Com o mesmo período do ano passado, o programa apresentou um aumento de 14,8 % em operações e de 74,7% em valores. De janeiro e agosto de 2020 foram mais de R$ 36 milhões em concessões. Desde que foi implantado, em 2011, o Juro Zero emprestou mais de R$ 313 milhões, movimentando diretamente mais de R$ 360 milhões na economia catarinense. O Programa, que atende 100% dos municípios catarinenses, é operacionalizado pelo Badesc e conta, ainda, com parceria da Associação das Instituições de Microcrédito e Microfinanças da Região Sul do Brasil (Amcred/SC) e do Sicoob - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Código de Trânsito Brasileiro
14/10/2020
Quirino Ribeiro

“A única situação que você deve cuidar da vida dos outros, é no trânsito.” (Cassal Brum).


O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que muda o Código de Trânsito Brasileiro e aumenta o limite de pontos para a perda da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a também a validade do documento. Ele ainda prometeu que o governo federal deve enviar em 2021, outro projeto para mudar a legislação de trânsito, uma vez que o Congresso alterou o texto original enviado pelo Executivo.


NOVO PROJETO EM 2021


Não era aquilo que queríamos, mas houve algum avanço e com toda certeza no ano que vem a gente pode apresentar um novo projeto buscando corrigir mais alguma coisa, disse o Presidente, em transmissão nas redes sociais junto com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.


SEGUNDO BOLSONARO


Um dos pontos que deverá constar em um novo projeto no ano que vem é o exame de saúde e aptidão por qualquer médico, o que hoje ocorre em clínicas específicas. “Queremos que a inspeção de saúde, que não foi aceita pela Câmara agora, fosse feita por qualquer médico. Segundo o presidente, a ideia é acabar com o monopólio das clínicas e diminuir os custos para o cidadão”.


A NOVA LEI PREVÊ


Uma gradação de 20, 30 ou 40 pontos em 12 meses, para a perda da CNH, conforme a ocorrência de infrações gravíssimas ou não. Pelas regras atuais, a CNH já é suspensa quando o condutor atinge os 20 pontos, independentemente de haver infrações gravíssimas. Com a mudança, o motorista terá a carteira suspensa com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos se tiver uma infração gravíssima; ou com 40 pontos se não tiver cometido infração gravíssima nos 12 meses anteriores.


SEGUNDO O PRESIDENTE


O aumento da pontuação máxima vai beneficiar motoristas profissionais, como taxistas, caminhoneiros e motoristas de aplicativo. “Estamos dando uma chance maior para elemento que cometeu uma infração de trânsito continuar com a sua carteira. Tirar a carteira de habilitação dessas pessoas é tirar o ganha-pão deles”.


O NOVO TEXTO


Também aumenta a validade da carteira de motorista de 5 para 10 anos para motoristas com até 49 anos. A nova norma publicada no Diário Oficial da União, segundo o presidente e o ministro, só passará a valer daqui 180 dias. Até lá, se vencer os cinco anos de habilitação, você vai ter de tirar outra carteira.


ESSE PRAZO EXISTE


Para que todo mundo tome consciência para não cometer infrações. Esse é o objetivo desses 180 dias. Durante a conversa, o presidente destacou que o objetivo das mudanças no CTB propostas pelo governo é o de “facilitar a vida do motorista”. Sem dar detalhes, Bolsonaro comentou ainda que vetou artigo sobre a regulamentação dos corredores de motos.


JUSTA HOMENAGEM


A Fundação Aury Luiz Bodanese (FALB), entidade mantida pela Aurora Alimentos, recebeu na última semana Moção de Reconhecimento da Câmara de Vereadores de Chapecó, que parabeniza a FALB pelo trabalho prestado em prol do meio ambiente no município. A Moção foi proposta e entregue pela vereadora suplente Aldacir Detofol que reconhece o trabalho realizado pela FALB através da educação ambiental, promoção de campanhas e desafios para a sensibilização de crianças e adolescentes de Chapecó sobre a importância da reciclagem e dos cuidados com a natureza.



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.

Auxílio emergencial
13/10/2020
Quirino Ribeiro

“O agro continua sendo a locomotiva da economia nacional.” (Zezo Pedrozo).


Com o auxílio emergencial, milhões de pessoas mudaram de patamar social, gerando um desafio para o Governo, porque o benefício termina no fim deste ano. A ascensão de cerca de 15 milhões de pessoas, que deixaram a pobreza, impulsionadas pelo auxílio emergencial, e a queda de renda no extrato social acima indicam que a Classe C, agora, já reúne 63% da população brasileira, alcançando o patamar histórico de 133 milhões de pessoas. Os números foram apontados pela Fundação Getúlio Vargas.


TAIS NÚMEROS SÃO ARTIFICIAIS


Pois o auxílio emergencial, que mudou o patamar de expressivo contingente da população, é provisório, devendo, em tese, terminar agora no fim do ano. O desafio é encontrar outros caminhos para manter tal cenário. O Governo acena com outros projetos, mas a área social e a área econômica ainda não chegaram a um consenso.


O PROGRAMA EMERGENCIAL


Foi importante diante da pandemia, que causou o desemprego de milhares de pessoas pelo país afora. Sem ele, o cenário seria muito mais crítico, sobretudo por não haver alternativa para aqueles que ficaram sem trabalho. No máximo, seriam deixados ao relento da informalidade, aumentando ainda mais as dificuldades dos segmentos mais carentes.


PARA UM PAÍS


Com diferenças tão grandes, não dá para o Governo ficar afastado de programas desse molde. A despeito do discurso liberal do ministro Paulo Guedes, pelo qual o Estado não tem que se meter na vida dos cidadãos, a exceção deve confirmar a regra. Na gestão Fernando Henrique foram dados os primeiros passos por iniciativa da então primeira-dama Ruth Cardoso.


SEU PROJETO


Foi aperfeiçoado pelo PT, com o Bolsa Família, e o auxílio emergencial é uma versão recente que ora elevou a situação desses milhões de brasileiros. A equipe econômica, a despeito de seu projeto de colocar a economia nos trilhos para gerar recursos para investimentos, não pode desconsiderar as consequências dessa migração.


QUANDO SE PROMOVE


A ascensão social de camadas da sociedade de menor poder financeiro ou lhes possibilite algum ganho, é possível beneficiar a todos, inclusive ao setor produtivo, com o crescimento do consumo. Quando o nível de pobreza cresce, todos perdem, pois as consequências se apresentam em todas as frentes. Vários segmentos, é fato, estão pagando um preço muito alto pela crise, que já estava em curso antes da pandemia, e viram a situação se agravar com a chegada do vírus, mas seria muito pior se o auxílio emergencial não fosse adotado.


O GOVERNO TEM QUE ENCONTRAR MEIOS


Para reduzir o tamanho do Estado, o que pode começar pela reforma administrativa, que dá os seus primeiros passos no Congresso. Cortar gorduras é um dado necessário, deixar milhares de carentes pelo caminho, não.


A NOVA DIMENSÃO DO AGRO


A agricultura e o agronegócio pontificaram de forma exponencial neste esdrúxulo ano – para o bem e para o mal – de 2020. As conjunturas do mercado mundial e as condições cambiais tornaram as exportações altamente competitivas e rentáveis, turbinando a balança comercial.


A ECLOSÃO DE DOENÇAS E EPIZOOTIAS


Em vários países exigiu o sacrifício de planteis, a paralisação da produção e a retirada do mercado mundial de alguns importantes fornecedores de proteínas. As doenças grassaram na China, obrigando o gigante asiático a condenar milhões de toneladas de carne e, por via de consequência, ampliar as importações.


ESSES FATORES


Aliados à disputa comercial entre Estados Unidos e China, beneficiaram o Brasil. As exportações verde-amarelas de carnes e grãos se agigantaram. No plano interno, o pagamento do auxílio emergencial a mais de 65 milhões de brasileiros (mediante desembolso governamental superior a R$ 212 bilhões) estimularam o consumo e mitigaram os efeitos do desemprego.


FRENTE A ESSE NOVO CENÁRIO


O setor primário da economia cumpriu e cumpre de forma excepcional o compromisso de produzir com eficiência e qualidade alimentos para abastecer o País e sustentar os crescentes superávits da balança comercial. As condicionantes típicas desse quadro de pandemia, como era de se esperar, influenciaram diretamente o mercado de grãos. ((José Zeferino Pedrozo presidente da Faesc-Senar/SC).



Comentários e sugestões podem ser enviados para o e-mail quirino@scc.com.br.



Anuncie aqui

(49) 99955-3619
Saiba mais

Ciclone Bicicletas

(49) 3322-3366
Saiba mais

HORÁRIOS DE VOOS

Confira os horários de voos do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso.

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

Confira a programação de cinema do Shopping Pátio Chapecó.

(49) 99955-3619
contato@portaloestenews.com.br

Newsletter

cadastre-se e receba nossas atualizações