O PORTAL DE NOTÍCIAS DO
GRUPO SUL BRASIL DE COMUNICAÇÃO


Saiba como reverter a atrofia muscular

08/01/2019

Os casos de atrofia muscular são cada vez mais frequentes. Além da falta de uso da musculatura, o problema pode derivar também de doenças neurológicas ou outras patologias que afetam o sistema muscular. Quando o problema não é causado por doenças neurológicas, seu tratamento consiste na prática de exercícios de fortalecimento, mas quando este fator estiver envolvido, os exercícios musculares podem somente diminuir a sua progressão.

O problema pode ser desenvolvido por pessoas que estão em fase de recuperação pós-lesões, queda dos níveis de atividade ou com outros problemas de saúde que limitem os movimentos. Os sintomas incluem redução do volume muscular em determinada região, dificuldade em realizar uma contração muscular com o membro afetado, flacidez e diminuição do tônus local. A boa notícia é que esta situação pode ser revertida com exercícios vigorosos e nutrição.

O médico ortopedista e traumatologista Joaquim Reichmann, explica que são comuns os casos de atrofiamento por falta de uso decorrentes de recuperações pós-lesões ou pós-cirúrgicas. Nesses casos, depois dos procedimentos de fisioterapia, nada é mais eficaz que a atividade física para reverter o processo. "Deve-se dar ênfase a exercícios ativos contra resistência", orienta.

O atrofiamento da região lombar e dos joelhos deve ser combatido com exercícios de fortalecimento dos músculos paravertebrais e lombares, além de atividades para fortalecer a coxa. "Quando alongamos os músculos também estamos melhorando sua capacidade contátil e fortalecendo-o", destaca Reichmann.

Essas atividades devem iniciar o mais rápido possível no caso de recuperação pós-lesões ou decorrentes de cirurgias. Quando são realizadas artroscopias de joelho (procedimento que requer pequenos cortes), pode-se caminhar no mesmo dia. No pós-operatório de ligamento de joelho, a fisioterapia e os exercícios já iniciam no primeiro ou segundo dia após a cirurgia.

O ortopedista explica que idade avançada é um dos fatores que favorece a atrofia muscular. "À medida que envelhecemos, perdemos massa muscular e capacidade contátil em todo o corpo, deficiência que deve ser compensada com exercícios. Por isso, a pessoa que não pratica algum tipo de atividade física é forte candidata a ter atrofia e encurtamento muscular. O fenômeno também está relacionado com a diminuição dos hormônios".

A musculatura mais propensa a sofrer atrofia é o deltóide (músculo triangular que recobre a articulação do ombro), dorso e coxas. Entretanto, exercícios regulares – como de musculação, de flexibilidade e aeróbico - são ideais. Hidroginástica e natação também são indicadas.

Entre as doenças que causam atrofia muscular estão a esclerose, distrofia muscular de Duchenne e distrofia muscular progressiva. São patologias neurológicas que impedem a contração muscular e necessitam de tratamento específico. Outras possíveis causas da atrofia muscular são: a paraplegia, tetraplegia, amputação do membro e membro gessado.



Fonte e foto: MB Comunicação.






Anuncie aqui

(49) 99955-3619
Saiba mais

Ciclone Bicicletas

(49) 3322-3366
Saiba mais

HORÁRIOS DE VOOS

Confira os horários de voos do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso.

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA

Confira a programação de cinema do Shopping Pátio Chapecó.

(49) 99955-3619
contato@portaloestenews.com.br

Newsletter

cadastre-se e receba nossas atualizações